P&D de Furnas recebe patente do INPI

Sistema utiliza inteligência artificial para identificar riscos de engenharia com antecedência

Furnas anunciou na última segunda-feira (17) a conclusão do desenvolvimento de um sistema de análise de riscos para empreendimentos de engenharia, obtendo patente de registro junto ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi). O trabalho foi feito durante três anos no seu Centro Tecnológico de Engenharia Civil, em Aparecida de Goiânia (GO), com participação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

O projeto de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) regulado pela Aneel teve um custo total de R$ 2,3 milhões para uma expectativa de que possa gerar economia de aproximadamente R$ 4 milhões por ano para a empresa, a partir do contigenciamento de riscos.

Segundo o coordenador do projeto e engenheiro de Furnas, Flavio Sohler, a plataforma utiliza inteligência artificial para identificar os riscos antecipadamente, minimizando perigos como o rompimento de estruturas e podendo ser utilizada em qualquer etapa da vida útil, como viabilidade, projeto, aquisição, construção e operação.

“A partir da inserção de informações pelos usuários, o sistema inteligente avalia riscos, probabilidades e impactos, para elaborar diversas metodologias de análise para empreendimentos de geração e transmissão de energia”, conclui o engenheiro.

O sistema é composto por oito modelos: Método Eletrobrás-Furnas para barragens; Método LCI (Localização, Causa, Indicador); Método FMECA (análise de criticidade do modo de falha e seu custo); Método ETA (análise de árvore de eventos); Contingenciamento de custos; Matriz qualitativa de riscos; Método baseado em monitoramento e Método FAHP (Processo Analítico Hierárquico Fuzzy).

O gerente do Centro Tecnológico de Engenharia Civil da estatal, Renato Cabral, disse que a solução será voltada para a empresa num primeiro momento, mas que pode posteriormente ser usada para consultorias pertinentes. “Existe ainda a possibilidade de a partir da implantação do sistema e realização de cursos, buscar no mercado mais receitas para a companhia”, complementa.