Maia considera difícil privatização da Eletrobras este ano

Calendário de eleições e debates sobre reformas são considerados mais importantes, com venda podendo ser votada no ano que vem

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), vê dificuldades para a privatização da Eletrobras este ano. Na live “Brasil em Reforma”, promovida pelo banco Santander nesta terça-feira, 18 de agosto, o deputado admitiu que desde o ano passado a aprovação do Projeto de Lei que permite a venda da estatal elétrica vem sendo tentada no parlamento a casa, mas que há resistências no Senado e na Câmara. “Não acredito que a gente consiga consenso entre Câmara e Senado para votar Eletrobras esse ano”, afirmou.

Para Maia, é preciso definir quais são as prioridades em um tempo exíguo, uma vez que nos próximos meses virão as eleições e ainda haverá a discussão sobre temas como a prorrogação do auxílio emergencial, teto de gastos e a reforma administrativa. Maia pede foco no teto de gastos e na reforma tributária. Segundo o presidente da Câmara, essas várias discussões ao mesmo tempo podem acabar inviabilizando as suas aprovações. “Não acho que privatizar essa empresa este ano ou no ano que vai fazer muita diferença. Não tratar da regulamentação do teto de gastos e da reforma administrativa e o teto de gastos vão ter um impacto muito maior”, salienta.