Comercializadoras são autorizadas a importar e exportar energia

MME deu aval completo para as empresas Âmbar e Bolt, e somente de exportação para Copel, Kroma e Minerva, ambos valendo até 2022

O Ministério de Minas e Energia autorizou as comercializadoras Âmbar e Bolt a importar e exportar energia da Argentina e do Uruguai, com destinação ao Mercado de Curto Prazo brasileiro e validade até 31 de dezembro de 2022. Conforme as portarias nº 317 e 313, publicada na última terça-feira, 25 de agosto, no Diário Oficial da União, as operações da Argentina deverá vir das estações conversoras de Frequência de Garabi I e II, até 2.200 MW, além da conversora de Uruguaiana, até 50 MW de potência e respectiva energia.

Já a energia oriunda do Uruguai deverá vir das conversoras de Rivera, até 70 MW de potência e da Estação de Melo, até 500 MW. A portaria ainda afirma que a importação do Uruguai deverá ser precedida de autorização ou contato para o uso das respectivas instalações de transmissão. O processo não afetará a segurança do Sistema Interligado Nacional, estando em sintonia com o Operador Nacional do Sistema Elétrico.

Nos mesmos moldes, o MME deu provimento apenas para exportação de energia elétrica para as comercializadoras da Copel (PR), Kroma (PE) e Minerva (SP), com as decisões também publicadas no Diário Oficial.