Usina solar em Caldas Novas vai reduzir gastos de complexo turístico

Planta do Grupo diRoma vai ter 5,6 MW e vai ser a maior do estado

Com mais de quatro décadas de constante atuação no turismo, o Grupo diRoma vai inaugurar a maior usina fotovoltaica urbana no Brasil. São 16.578 módulos fotovoltaicos subdivididos com 5,6 MW de potência, ocupando 3.220m² em sistema de cobertura tipo garagem, 3.800m² em telhados e 75.000m² em solo, o que é suficiente para abastecer de energia solar 100% limpa 4.256 casas, ou uma cidade de 10.000 habitantes.

O projeto visa contemplar os empreendimentos voltados para o turismo que o Grupo mantém em Caldas Novas, Goiás. A inauguração acontece no próximo dia 29, às 11h, em Caldas Novas e contará com as presenças do Presidente Jair Bolsonaro, do Ministro das Minas e Energia, Bento Albuquerque e da fundadora do Grupo diRoma e idealizadora do projeto, Magda Mofatto Hon.

O grupo que administra a maior rede hoteleira do Centro-Oeste do país decidiu pela energia solar para abastecer seus empreendimentos por reconhecer a importância da preservação do meio ambiente. Uma usina nesses moldes impossibilita que 603 toneladas de CO2 sejam emitidos por ano, 48 mil árvores adultas sejam preservadas e haja redução de poluentes produzidos em 3,4 milhões de km rodados por um automóvel em um ano. De acordo com Magda Moffatto Hon, a estimativa de economia é de 85%.

Usina Fotovoltaica que será inaugurada pelo Grupo diRoma (arquivo pessoal/ Magda Moffato)

Em termos de gestão a usina traz benefícios para o Grupo diRoma, mas impacta também a cidade que receberá o excedente elétrico antes destinado para os hotéis e clubes. Magda Mofatto revela ainda que a usina que tem números impressionantes como ser a nona em dimensão no território nacional e maior de Goiás nesse segmento, por exemplo, também ratifica a marca do pioneirismo do Grupo diRoma que por décadas vem erguendo empreendimentos para hospedagem e equipamentos turísticos para projetar o potencial de Caldas Novas para o turismo, o que o tornou referência no segmento.