Light aplica R$ 150 mi em automação e melhora DEC e FEC

Companhia computa melhora em resultados operacionais após adoção da tecnologia

A Light aplicou cerca de R$ 150 milhões na automação de seu sistema elétrico, tendo implementado a tecnologia em 191 circuitos de distribuição, informou a companhia, indicando que a meta é modernizar outras 51 linhas de energia ainda este ano, beneficiando ao todo um milhão de consumidores.

Os aportes da empresa visam aumentar a confiabilidade do sistema ao mesmo tempo em que reduz os custos operacionais, já que a automação da rede possibilita a detectar falhas no sistema e isolar, parcialmente, o trecho com defeito, permitindo o restabelecimento do fornecimento elétrico para uma maior quantidade de clientes até que a ocorrência seja solucionada.

Os quase seis mil equipamentos utilizados são supervisionados e telecomandados à distância, diretamente do Centro de Operação, que usa o Sistema de Supervisão e Aquisição de Dados em tempo real (SCADA – Supervisory Control And Data Acquisition) para controlar mais de 500 mil pontos oriundos de 221 subestações em diferentes níveis de tensão.

Neste ano, a companhia está fazendo um aporte na ordem de R$ 12,5 milhões para atualizar o SCADA, além de empreender um plano para implementação de sistemas automáticos de tomada de decisão para os próximos dois anos, para atuarem tanto na configuração da rede de distribuição de média tensão quanto na transferência de alimentadores em subestações e grandes áreas residenciais.

Investimentos melhoram DEC e FEC – Com a automação maior de seus sistemas, a concessionária têm registrado resultados positivos e melhorado a qualidade do seu fornecimento de energia. Em junho desse ano, os indicadores referentes à Duração Equivalente de Interrupção (DEC) e Frequência Equivalente de Interrupção (FEC) atingiram resultados recordes.

O DEC foi de 6,42 horas no segundo trimestre, redução de 8,2% em relação ao reportado no primeiro trimestre desse ano. Já o FEC, foi de 4,27 vezes no segundo trimestre, em linha com o resultado de março. No entanto, ambos os indicadores ainda estão abaixo do limite estabelecido pela Aneel.