Preço da energia aumenta no mercado à vista

Valor continua menor no Nordeste onde a elevação foi de 15% enquanto nos demais submercados avançou 17%

O preço de liquidação das diferenças para o período de 12 a 18 de setembro segue o Custo Marginal de Operação (CMO) e também apresentou elevação em todos os submercados. O preço subiu 17% nos submercados Sudeste/Centro-Oeste, Sul e Norte, saindo de R$ 76,24/MWh para R$ 88,98/MWh. O Nordeste apresentou elevação de 15%, saindo de R$ 55,23/MWh para R$ 63,42/MWh.
Segundo a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica, o principal fator responsável pelo aumento do PLD foi a expectativa de redução de afluências do Sistema Interligado Nacional aliada com o aumento da carga do SIN para próxima semana.
A projeção é de que as afluências de setembro fechem em torno de 67% da média de longo termo para o SIN. Dados do ONS apontaram mais cedo que a estimativa é de 72% na região Sudeste/Centro-Oeste, 59% no Sul, 68% na região Nordeste e 71% na região Norte.
A expectativa para a próxima semana operativa é de que a carga para o SIN fique cerca de 1.160 MW médios mais elevada do que a previsão anterior. No Sudeste/Centro-Oeste são esperados 841 MW médios, no Sul esse crescimento é de 158 MW médios e no Norte de 160 MW médios. O Nordeste manteve a mesma previsão.
Já os níveis dos reservatórios do SIN ficaram cerca de 503 MW médios abaixo do esperado. Os níveis estão mais baixos no submercado Sudeste em 1.226 MW médios, no Norte em 15 MW médios. Os níveis estão mais altos no Sul 119 MW médios e no Nordeste em 619 MW médios.
O fator de ajuste do MRE estimado para setembro passou de 62,8% para 64,5%. O Encargo de Serviços do Sistema (ESS) previsto para o mês está em R$ 41 milhões, sendo R$ 28,8 milhões devido a restrições operativas e R$ 12,2 milhão a unit commitment.