UFV Coremas é inaugurada na PB já com projeto de expansão

Complexo solar foi inaugurado hoje. STI Norland forneceu trackers e Huawei solução de inteligência artificial

Foi inaugurada nesta quinta-feira, 17 de setembro, a usina solar Coremas (PB), de propriedade da Rio Alto. Até o momento, foram investidos cerca de R$ 400 milhões e ainda contará com mais R$ 580 milhões até meados de 2021. Já estavam em operação 93 MW da usina. Quando finalizado, o complexo contará com 312 MW de potência, com 686 mil módulos fotovoltaicos instalados. A construção do complexo empregou, em média, 400 colaboradores diretos e 2.250 indiretos. Hoje, o complexo possui mais de 90% de colaboradores paraibanos em todos os setores, da gerência e engenharia aos ajudantes de obras.

Para o CEO da Rio Alto, Edmond Farhat, essa nova fase do projeto significa uma importante etapa do processo de crescimento da energia solar no Brasil e demonstra a importância e proporção que essa matriz energética está ganhando no País. Na cerimônia, o ministro Bento Albuquerque salientou que o governo tem buscado incansavelmente o desenvolvimento do setor por meio da atração de investimentos, de menores tarifas, da utilização de fontes alternativas de energia, da proteção ao meio ambiente e da conservação de energia por meio da eficiência energética.

Usina solar foi inaugurada nesta quinta-feira, 17

A nova etapa da usina será equipada com trackers (rastreadores solares) da STI Norland, fabricante de rastreadores solares de eixo único e estruturas fixas, que também será responsável pelo fornecimento dos materiais nas novas fases. Para as obras do Coremas 4, 5, 6, 7 e 8 serão instalados 2.460 trackers modelo STI-H250, dual-row, o primeiro deste tipo do mercado trazido pela STI Norland e a capacidade total será de aproximadamente 156 MWp. Ao todo, nas obras do Coremas 1, 2 e 3 foram fornecidos 947 trackers, sendo 254 do modelo H-1250, trackers multilinhas, e o restante são do modelo STI-H250, dual-row. Esse foi o primeiro grande projeto da STI Norland Brasil, em 2017. No total, serão 10 projetos de 31,2 MWp cada, sendo que já estão em operação o Coremas 1, 2 e 3.

STI Norland e Huawei fornecem para complexo solar da Paraíba

Para Javier Reclusa, CEO da STI Norland no Brasil, o projeto revolucionou o mercado de energia solar no Brasil e abriu as portas para os grandes projetos que existem hoje. segundo ele, a confiança depositada na fabricante foi fundamental para a estruturação e crescimento da STI.

A Huawei será a provedora de tecnologia em Inteligência Artificial, na geração de 156 MW, referente a 5 das usinas do Complexo: Corema 4, 5, 6, 7 e 8. A solução FusionSolar 6.0+ da Huawei irá possibilitar uma redução do Custo Nivelado de Energia  em mais de 5%, o que resulta em maior valor para a Rio Alto, doa da usina. A solução da Huawei é totalmente digitalizada e patenteada, capaz de fornecer rendimentos até 2% maiores e O&M mais inteligente se comparada a outras soluções tradicionais.