Alsol inaugura mais uma usina solar para GD em MG

Até o fim do ano, mais duas fazendas solares serão conectadas em Minas Gerais, totalizando investimentos de R$ 100 milhões em 2020

A Alsol inaugurou na semana passada a usina solar fotovoltaica Granja Marileusa I, em Uberlândia (MG) – sua quarta planta própria no estado concluída este ano. A unidade, que possui 20 mil placas fotovoltaicas e gera energia suficiente para abastecer 6 mil residências, servirá como ponto de recarga de veículos elétricos do MoovAlsol, projeto de P&D relacionado à mobilidade elétrica que implementou na cidade o primeiro sistema de recarga de carros com fonte totalmente solar do Brasil.

Até o fim do ano, mais duas fazendas solares serão conectadas em Minas Gerais, nos municípios de Iraí de Minas e Piumhi, totalizando investimentos de R$ 100 milhões em 2020. As quatro usinas já inauguradas este ano – Jardim II, Capim Branco III e Santa Rosa, além da Granja Marileusa I-  possuem capacidade de geração de aproximadamente 20,3 MWp, o suficiente para abastecer 20 mil residências. Além disso, estima-se que as quatro estruturas somadas evitarão a emissão de aproximadamente 2,3 mil toneladas de CO2 por ano, o equivalente ao plantio de 9.160 árvores.

De acordo com o presidente da Alsol e vice-presidente de Geração, Transmissão e Serviços da Energisa, Geraldo Mota, o parque ajuda a consolidar Uberlândia e Minas Gerais na liderança nacional em geração solar fotovoltaica.

Governador Romeu Zema (ao centro) na inauguração da UFV Granja Marileusa I

A energia gerada pelas usinas solares é consumida, majoritariamente, por micro, pequenas e médias empresas de segmentos como comércio e serviços. Neste modelo da Alsol, que realiza todos os investimentos e comercializa as cotas de energia solar, as MPEs podem ter descontos de aproximadamente 20% na fatura de energia.

A Alsol também firmou parceria com o Inter para a oferta de fornecimento de energia solar em residências a um custo mais competitivo e sem a necessidade de instalação de placas fotovoltaicas. A oferta do serviço será feita de forma 100% digital, por meio do Super App do Inter, para correntistas que residam em Minas Gerais. O serviço estará disponível para a base de clientes nos próximos meses. A expectativa da Alsol é de destinar inicialmente 9 MW de seu portfólio de usinas para esta parceria e ampliar a oferta de acordo com a demanda dos clientes.

O modelo a ser oferecido para clientes residenciais será o mesmo que está disponível a empresas. A Alsol faz todos os investimentos e comercializa as cotas das fazendas solares. O valor a ser pago pelo uso da energia solar continua sendo feito pela conta de luz da Cemig. A diferença é que a quantidade de energia solar fornecida é abatida do total consumido, o que proporciona a redução no valor total da conta.

Para João Vitor Menin, CEO do Inter, ao apoiar iniciativas que promovam a adoção de energias mais econômicas, limpas e renováveis, faz-se um alinhamento à expectativa dos stakeholders e da  estratégia de sustentabilidade do banco. Segundo ele, com  a parceria se amplia a oferta de serviços, permitindo, neste primeiro momento, que os moradores de Minas possam adotar de forma muito simples e prática a energia solar em suas casas.  Após viabilizar o serviço em Minas Gerais, o objetivo do Inter é ampliar a oferta para seus mais de 7 milhões de clientes em todo o País.

A usina Granja Marileusa I será o terceiro ponto de recarga de veículos elétricos do projeto MoovAlsol, em que a energia que abastece os carros provém diretamente das usinas solares e baterias que armazenam a energia limpa. Até então, os modelos existentes não permitiam uma aferição precisa da origem da fonte energética, uma vez que a matriz brasileira não é integralmente renovável. O projeto também está testando um sistema de carregadores rápidos que viabilizam o percurso Brasília – Campinas (900 km) em um só dia, com uma única parada rápida em Uberlândia, utilizando um dos modelos da frota. A frota de veículos também está sendo testada em parceria com empresas locais.

O projeto MoovAlsol, de Pesquisa & Desenvolvimento do Grupo Energisa, é executado pela Alsol em parceria com a UFPB e fomentado pela Agência Nacional de Energia Elétrica. Nos próximos três anos, há previsão de que R$ 30 milhões sejam investidos na iniciativa. Outros detalhes do projeto e das parcerias serão apresentados conforme o desenvolvimento e evolução do MoovAlsol.