ONS projeta alta de 6,3% na carga em outubro

Todas as regiões podem ter aumento, inclusive o Nordeste, com 3,4%

O Operador Nacional do Sistema Elétrico projeta aumento de carga de 6,3% no Sistema Interligado Nacional em todos os submercados em outubro na comparação com mesmo mês de 2019. Para os subsistemas Sudeste/Centro-Oeste e Sul, a alta será de 6,9%, com 43.546 MW médios e 12.509 MW médios, respectivamente. Já o Norte obteve incremento de 6%, com 5.999 MW médios. Em menor ritmo de expansão entre as regiões, o Nordeste sobe apenas 3,4%, com 11.803 MW médios.

O Custo Marginal de Operação também continua em ascensão no país. Nas regiões Sudeste/Centro-Oeste, Sul e Norte, os valores estão equalizados em R$ 282,62/MWh, um avanço de 7,8% em relação à semana anterior, quando operavam em R$ 262,04/MWh. No Nordeste, o CMO segue em alta de 4,9%, alcançando R$ 170,80/MWh, contra R$ 162,77/MWh.

Segundo o ONS, os principais fatores que influenciaram no aumento do CMO em todos os subsistemas do SIN foram as atualizações das previsões de vazões e de carga. No Norte, o retorno da carga de um consumidor livre da rede básica justifica, em parte, a elevada taxa de crescimento.

As previsões meteorológicas indicam, para as capitais do Sudeste/Centro-Oeste, declínio das temperaturas médias previstas para a próxima semana, atingindo um patamar inferior ao verificado nas últimas semanas. Para o subsistema Sul, é esperada a ocorrência de temperaturas semelhantes às observadas na semana em curso em Florianópolis e Porto Alegre. Para Curitiba, há expectativa de redução das temperaturas em relação ao comportamento da semana atual. As regiões Norte e Nordeste seguem sem variações significativas nas temperaturas e precipitação para o período.

O boletim do PMO também apresenta as estimativas de volumes nos reservatórios para o fim do mês. No subsistema Nordeste, a previsão é que o volume chegue a 51,9% do seu nível; no Norte, 33,1%; no Sudeste/Centro-Oeste, 24% e no Sul, 23,1%. Dados do relatório apontam ainda, para a semana de 10 a 16 de outubro, que as afluências irão atingir 56% da MLT no Norte; 42% da MLT no Nordeste; 47% da MLT no Sudeste/Centro-Oeste e 38% da MLT no Sul.