Memória da Eletricidade comemora 34 anos fazendo história no setor elétrico brasileiro

Com novo posicionamento, instituição inaugura atuação voltada à gestão da memória, da informação e do conhecimento no setor elétrico e em outros mercados

O ano de 2020 entrará para os livros de história como um período ímpar, em que a transformação foi inevitável. É neste contexto que a Memória da Eletricidade comemora, no dia 16 de outubro, 34 anos de atividade. Marcando a data, a instituição apresenta ao mercado seu novo posicionamento institucional, que guia seus projetos em desenvolvimento e os planos para o futuro, com foco na gestão da memória, da informação e do conhecimento.

Criada em 1986 para preservar a história da indústria da eletricidade, após três décadas de funcionamento a Memória da Eletricidade vai além, se alinhando às demandas contemporâneas e assumindo o papel de linha de transmissão entre o passado e o futuro. Para isso, soma às suas tradicionais frentes de atuação em acervo, pesquisa e memória empresarial, o programa de treinamento e atualização de profissionais.

Destaque do lançamento, no novo site da instituição está disponível parte importante do seu acervo. São 14 mil itens históricos para o público explorar, com mais de 900 fotografias, 75 depoimentos de dirigentes do Setor para o programa de história oral, além de uma vasta documentação textual de grande relevância para a pesquisa histórica. O site também dá acesso à biblioteca da instituição, que mantém outros 12 mil itens, entre livros e periódicos relacionados ao setor de energia.

Dentre os mais interessantes itens do acervo reunido e preservado pela instituição, encontram-se fotografias históricas da construção da Usina Angra I, primeiro projeto nuclear do país, da construção da Usina Paulo Afonso I, primeira hidrelétrica de grande porte do Nordeste, inaugurada em 1955, e a coleção fotográfica de Piabanha, hidrelétrica construída no início do século XX em Três Rios (RJ). O site também conta com uma área de eventos, com programação semanal, além de artigos reunindo reflexões sobre temas de Preservação Histórica e Comunicação e Memória.

Desenvolvido em um software próprio, o Shiro, que aplica tecnologia para a gestão, preservação e divulgação, o acervo histórico da Memória da Eletricidade possui, ao todo, 60 mil itens, que estão sendo continuamente digitalizados e disponibilizadas para consulta e visualização online. Augusto Rodrigues, presidente da Memória da Eletricidade, explica como vê a conexão entre passado e futuro. “O que produzimos hoje é a memória de amanhã, por isso a importância de instituições de pesquisa, empresas e profissionais contribuírem com esse registro, seja por meio de doações de itens históricos ou depoimentos”, convida.

Treinamento e atualização
Primeiro passo do programa de desenvolvimento e atualização da Memória da Eletricidade, foram lançadas duas séries de webinars, a #PaposDeMemória e a #PaposDeEnergia, realizadas em parceria com a Associação Brasileira de Memória Empresarial (ABME) e com o Comitê Nacional Brasileiro de Produção e Transmissão de Energia Elétrica (Cigre-Brasil). As séries, com 4 episódios e temas cada uma, já somam mais de 2 mil visualizações.

Projetos em desenvolvimento e planos para o futuro
Acompanhando o ritmo de transformações recentes, no segundo semestre de 2020 a Memória da Eletricidade iniciou dois grandes projetos: o Memória Furnas, em parceria com a Eletrobras Furnas, e o Programa de Gestão Integrada das Bibliotecas do Setor Elétrico, projeto de referência na gestão da informação no Setor.

Augusto Rodrigues resume o novo momento da instituição. “A Memória da Eletricidade nasceu no Setor Elétrico e sua essência sempre foi cuidar dessa história. Agora, queremos também ajudar as empresas a gerirem o conhecimento gerado e acumulado em suas instituições e equipes. Ou seja, usar o passado e o presente para construir o futuro”.

Conheça o acervo e o novo portfólio de serviços da instituição em www.memoriadaeletricidade.com.br.

(Nota da Redação: Conteúdo patrocinado produzido pela empresa)