Ministro anuncia investimentos de R$ 15,5 bilhões na área nuclear nos próximos anos

Angra 3 deverá criar 9.300 empregos e retomadas de minas mais de seis mil vagas

O Ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, anunciou nesta quarta-feira, 28 de outubro, durante o XI Seminário Internacional de Energia Nuclear, a cifra de R$ 15,5 bilhões nos próximos anos para a retomada do setor, com a expectativa de ampliação de exportação de urânio/yellow cake para 1,5 tonelada/ano e projeções para geração de emprego e renda positivas para o País: o plano de aceleração, construção e operação de Angra 3 com previsão de geração de 9.300 empregos e a retomada de Caetité, gerando 1.800 empregos e em Santa Quitéria, somados implantação e operação, 4.500 novos empregos.

Falando sobre as metas futuras e os desafios para os próximos anos, o ministro afirmou que o desenvolvimento do PNE 2050, recomendará ampliação da geração nuclear em até 10 GW, em 30 anos, e destacou alguns desafios que têm sido enfrentados, entre eles, o aprimoramento da legislação com vistas a atrair investimentos privados, inclusive na mineração de urânio; a conclusão das obras de Angra 3, até 2026; estender a vida útil para operação de Angra 1 por mais 20 anos e a retomada da mineração de urânio.

Ainda de acordo com o ministro, o setor nuclear é um pilar da estratégia de desenvolvimento sustentável, que gera emprego e renda, e que contribui, decisivamente, para a descarbonização da matriz energética, fornecendo energia de base, com alto grau de confiabilidade e operando continuamente. Albuquerque também confirmou que o MME e o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, após a regulamentação da autoridade regulatória nuclear, serão os órgãos responsáveis pelas políticas do setor.