CCEE: PLD no Sudeste cai 15% e fica em R$ 476,59/ MWh

Nordeste tem aumento de 41% e vai para R$ 276,71/ MWh

A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica informa que o Preço de Liquidação das Diferenças  para o período de 14 a 20 de novembro teve queda de 15% nos submercados Sudeste/Centro-Oeste, Sul e Norte, saindo de teto regulatório de R$ 559,75/MWh para R$ 476,59/MWh. Já o submercado Nordeste apresentou alta de 41%, saindo de R$ 196,76/MWh para R$ 276,71/MWh.

O principal fator responsável pela diminuição do PLD no Sudeste/Centro-Oeste, Sul e Norte foi o aumento na expectativa das afluências nas regiões Sudeste e Sul, aliado com a diminuição da carga do Sistema Interligado Nacional para a próxima semana. Os limites de envio de energia da região Nordeste foram atingidos em todos os patamares, mantendo o descolamento dos preços deste submercado em relação aos demais.

Espera-se que as afluências de novembro de 2020 fechem em torno de 57% da média de longo termo, sendo aproximadamente 58% na região Sudeste/Centro-Oeste, 35% na região Sul, 79% na região Nordeste e 75% na região Norte. A expectativa para a próxima semana operativa é de que a carga para o SIN fique cerca de 700 MW med mais baixa do que a previsão anterior, com reduções de 406 MW med, no Nordeste, de 119 MW med e de recuo de 175 MW med no Norte. Já o submercado Sul não apresentou alteração em sua previsão.

Já os níveis dos reservatórios do SIN ficaram cerca de 284 MW med abaixo do esperado. Os níveis estão mais baixos que a expectativa anterior apenas no submercado Sudeste, com recuo de 1.431 MW med. Os níveis estão mais altos no Sul, com aumento de 398 MW med, no Nordeste, com mais 671 MW med e no Norte com o aumento de  78 MW med em relação ao esperado.

O fator de ajuste do MRE estimado para o mês de novembro passou de 65,4% para 65,5%. O Encargo de Serviços do Sistema estimado para as duas primeiras semanas operativas de novembro está em R$ 320,8 milhões, sendo R$ 148,7 milhões devido à segurança energética, R$ 15,1 milhões por unit commitment e R$ 157 milhões devido a importação por segurança energética. Para a terceira semana, deve continuar ocorrendo despacho por segurança energética visando garantir a não degradação do armazenamento da região Sul.