Consumo da Energisa sobe 6,7% em outubro

Classe residencial foi destaque e industrial cresceu pelo quinto mês seguido

O consumo consolidado de energia nos mercados cativo e livre nas distribuidoras do Grupo Energisa em outubro registrou crescimento de 6,7% comparado ao mesmo período do ano anterior. Ao considerar o mercado não faturado, o aumento ficou em 9,5%. De acordo com a Energisa, as altas temperaturas registradas no mês, mais a dinâmica favorável do agronegócio e o processo de retomada das atividades econômicas após o período mais intenso da pandemia impactaram positivamente.

Na classe residencial, 9 de 11 distribuidoras apresentaram taxas iguais ou acima de 10%, com destaque para Mato Grosso, com aumento de 16% e Rondônia, que cresceu 25,2%. Em Rondônia e Acre, os resultados também vieram pelo aumento acima da média do número de consumidores, devido a expansão da rede e regularização de clandestinos na região. A classe rural subiu 20%, resultado impulsionado pela Energisa Mato Grosso, que cresceu  28,5%, que foi responsável por 58% do aumento na classe, influenciada pelo clima associado ao período de plantio da soja e aumento do uso de irrigação.

Já a classe industrial subiu pelo quinto mês seguido, chegando a um aumento de 6%. O destaque ficou com as concessões da região Centro-Oeste, que foram responsáveis por 92,1% do incremento do consumo na classe.

Em dez meses, houve aumento de 0,2% em relação ao mesmo período do ano anterior no consumo de energia no mercado cativo e livre. Considerando o fornecimento não-faturado, o crescimento no mês chegou a 0,5%, na mesma base de comparação. Os destaques no período foram as concessionárias do Mato Grosso, com aumento de 3,2%; Mato Grosso do Sul, que subiu 2%; Rondônia, com aumento de 2,5%; Acre, com crescimento de 0,7% e Tocantins, com alta de 0,9%.