CCEE garante que está preparada para o PLD horário

Ainda há muito desconhecimento no mercado sobre os impactos do PLD horário, diz PSR

A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) está totalmente preparada para operar o PLD horário a partir de janeiro de 2021, afirmou a vice-presidente da entidade, Talita Porto, nesta sexta-feira, 27 de novembro, no Encontro Anual do Mercado Livre, realizado pelo Grupo CanalEnergia | Informa Markets.

A formação do preço da energia horosazonal é um evolução importante para o setor elétrico brasileiro, pois vai aproximar o Preço de Liquidação das Diferenças (PLD) à operação física do Sistema Interligado Nacional (SIN). O PLD horário estava programado para entrar em janeiro deste ano, mas foi adiado pelo governo para 2021. Em suma, desde que foi criado, o PLD é recalculado e divulgado todas sextas-feiras pela CCEE em três patamares de carga (leve, média e pesada).

“Em janeiro de 2021 o preço semanal vai passar a ser horário. Essa mudança vai ser fundamental para a modernização do setor elétrico”, destacou Porto.

A CCEE rodou mais de 2.500 casos em computadores diferentes para garantir 100% de reprodutibilidade do modelo Dessem. Foram dois anos de dados disponibilizados para o mercado se preparar. Em 12 de novembro, a entidade lançou os dados de consumo horário e pretende lançar, em breve, um painel interativo de geração.

Os benefícios esperados do PLD horário são: surgimento de contratos financeiros para proteção de variações de preço, geração de energia e diferenças entre submercados (no Brasil são quatro), permitirá a flexibilização do consumo industrial ao longo do dia (resposta da demanda) e o surgimento de novos produtos e serviços, bem como acomodar inovações tecnológicas.

Desconhecimento do PLD horário

Mediador do painel, o presidente da consultoria internacional PSR, Luiz Barroso, disse que ainda há muito desconhecimento no mercado sobre os impactos do PLD horário. No entanto, a maior geradora privada do país garante que está totalmente preparada para o PLD horário.

“O preço horário é uma revolução”, afirmou Eduardo Takamori, gerente de Assuntos Regulatórios e de Mercado Engie Brasil.

A Engie criou um projeto interno para estudar a fundo os efeitos do preço horário no seu negócio. “Esse foi um processo longo, doloroso, mas que hoje gera um conforto muito grande […] para poder entrar algo cada vez melhor para os nossos clientes […]”, disse Takamori.

Também presente no evento, Gustavo Arfux, diretor na True Comercializadora, disse que “esperou o processo se estabilizar” e agora está investindo para preparar a empresa para o PLD horário.

“A gente esperou o modelo ficar estável e agora está nessa etapa de descobrir todas as vertentes do preço horário”, disse Arfux. “A gente está entrando em um mundo novo, muito animado e muito otimista e nos preparando para em 2021 ver esse grande avanço”, completou.

Para contribuir com essa lacuna de conhecimento, o CTEE realizará nos dias 7 e 8 de dezembro de 2020 um novo curso exclusivo para apresentar os principais conceitos e alterações que o preço horário traz para o setor elétrico.