Itaipu prevê 70 milhões de MWh acumulados até este domingo

Diretoria técnica avalia produtividade da usina em ano de crise hídrica e pandemia

A hidrelétrica de Itaipu deve atingir 70 milhões de megawatts-hora (MWh) em geração acumulada do ano no início da tarde deste domingo, 29 de novembro, segundo previsão da Diretoria Técnica da binacional. Em operação desde em maio de 1984, a usina acumula 2,7 bilhões de MWh em 36 anos e seis meses de funcionamento.

Quando comparada a produção anual de 2019 das maiores usinas do sistema de energia brasileiro, a produção da UHE representa 2,4 vezes a da hidrelétrica de Tucuruí (PA) e 5,4 vezes a geração da Ilha Solteira (SP), além de 8,8 vezes na UHE Xingó (AL/SE). A usina totalmente brasileira que mais produziu no ano de 2019 foi Tucuruí, com cerca de 29 milhões de MWh, seguida de Belo Monte, com cerca de 25 milhões de MWh.

“Além de garantir o percentual da energia vinculada à potência contratada da Eletrobras da energia afluente, independentemente do nível do reservatório, na tarde de quarta-feira, 25, atendeu-se a uma demanda emergencial na hora de pico do sistema na ordem de 1.510 MW adicionais”, comenta o diretor técnico executivo da Itaipu, Celso Torino, referindo-se a importância do atendimento de ponta da usina.

Até 25 de novembro, a produtividade média da binacional no ano foi de 1,0876 MW/m³/s, valor superior ao obtido no mesmo período de 2019 (1,0793 MW/m³/s). A produtividade média anual daquele ano foi de 1,0794 MW/m³/s, a maior do histórico.

Outro destaque é o fator de disponibilidade operacional (FDO) das unidades geradoras, que chegou a 96,88% em 2020, enquanto o fator de indisponibilidade forçada operacional (FIFO) foi de 0,07%, indicadores que refletem a eficiência na gestão da produção e dos ativos da usina.