Lactec fecha acordo com universidade nos EUA

Acordo abre possibilidades para pesquisas conjuntas em áreas como em energias renováveis e microrredes

O Lactec, centro privado de tecnologia e inovação do país, acaba de firmar um acordo de cooperação e colaboração com a Texas Tech University (TTU), dos Estados Unidos, para compartilhamento de conhecimento e de infraestrutura em programas de especialização e de pesquisa e desenvolvimento (P&D). Ambas as instituições atuam na área de energia e mantêm um programa de estágio de acadêmicos da TTU nos laboratórios do Lactec há quatro anos, por meio de convênio com a Brazilian Experience.

O termo de cooperação assinado agora abre possibilidades para pesquisas conjuntas em áreas de interesse comuns, como é o caso, por exemplo, das energias renováveis e de microrredes para levar eletricidade a regiões isoladas.

De acordo com comunicado em conjunto das duas instituições, a TTU já vem desenvolvendo projetos há vários anos e conta com infraestrutura para pesquisas, incluindo o Laboratório Global para Gerenciamento e Fabricação de Ativos de Energia (Gleamm, na sigla em inglês), que dispõe de uma plataforma para testes reais em campo, a única existente nesse modelo no mundo.

A infraestrutura do laboratório ao ar livre que fica no campus da TTU, em Lubbock, no Texas, possibilita estudos de modelagens de integração de fontes solar e eólica com sistemas de armazenamento de energia, entre outras configurações possíveis de microrredes. Uma das linhas de pesquisa, aponta o Lactec, visa o atendimento de áreas rurais do país, que geralmente são as que mais demoram a ter a energia restabelecida após eventos climáticos severos, como furacões, por exemplo.

O Lactec também trabalha com pesquisas em microrredes e já sinaliza a intenção de usar a infraestrutura de ponta da universidade norte-americana para treinamento dos pesquisadores da empresa, que estão envolvidos com esses estudos no Brasil. Um dos projetos em andamento, contratado pela Neoenergia, prevê o uso dessa modalidade para abastecimento de comunidades do Sertão da Bahia. Para a Energisa, a empresa desenvolve estudos para regiões isoladas do Pantanal.