Eternit inicia pilotos com telhas fotovoltaicas

Estimativa é de que a economia fiquem na casa de R$ 300 por mês

A Eternit acaba de implementar a instalação das telhas fotovoltaicas de concreto em residências de São Bento do Sapucaí e Campos do Jordão (SP). Os projetos foram aprovados pela distribuidora dessas cidades, a Elektro. Somados os dois pilotos são cerca de 1 mil telhas. Com isso, a capacidade produtiva será em média de 400 kWh/mês. A instalação contou com a parceria da integradora SIMEPE, empresa especialista em sistemas fotovoltaicos, e da WEG para o fornecimento do inversor.

Para a residência em Campos do Jordão foram instaladas 467 telhas fotovoltaicas. A capacidade produtiva média é estimada em 590 kWh/mês. Na instalação da residência em São Bento de Sapucaí, foram utilizadas 400 telhas fotovoltaicas de 9,16 kWp , a capacidade produtiva será em média de 400 kWh/mês.

Foram cerca de dois anos trabalhando no projeto. A estimativa é de que considerando a irradiação solar da região e a orientação do telhado leste-oeste, será possível economizar até R$ 300,00 na conta de energia.

As telhas fotovoltaicas de concreto estão sendo produzidas pela Tégula Solar, empresa que pertence ao grupo Eternit, instalada em Atibaia (SP), em uma fábrica dedicada à tecnologia fotovoltaica e que permitirá a execução de projetos residenciais, comerciais e de agronegócio entre outros. Novas instalações estão previstas para janeiro de 2021. Bem como, estima iniciar a comercialização no final do primeiro semestre de 2021. E, em paralelo, a empresa também prevê o desenvolvimento da versão fotovoltaica da tradicional telha de fibrocimento, a Eternit Solar, que aguarda homologação do Inmetro.