Oito elétricas deverão pagar bons dividendos em 2021, diz Economática

Taesa UNIT N2 puxa lista com dividend yield de 9,63% e fica no segundo lugar na lista geral elaborada pela consultoria

O ano de 2021 promote ser um período de boa remuneração aos acionistas de oito elétricas. A estimativa da consultoria Economática para as ações com potencial de ‘bons resultados em dividendos e Juros de Capital Próprio’ no ano de 2021 traz oito empresas do setor elétrico entre as indicadas. Das 24 ações que compõem a lista, os segmentos de seguradoras, exploração de imóveis e alimentos diversos participam com duas ações. Dez outros segmentos têm uma ação cada um. A Taesa UNIT N2 é a melhor elétrica colocada, com dividend yield de 9,63% projetado para 2021. A transmissora ficou bem perto da primeira colocada, a Enauta Part ON, com 9,64%.

As demais ações do setor são AES Tietê UNIT N2 (6,37%), Cteep PN (6,26%), CPFL Energia ON (5,53%), Copel PNB (4,14%), Copel ON (4,03%), Engie Brasil ON (3,92%) e Neoenergia ON (2,32%). Em 2020, a Taesa UNIT N2 foi a que melhor remunerou entre as listadas, novamente com 9,63% perante uma expetativa de 6,06%. A lista traz as ações com dividend yield superior a 2% projetados para o ano de 2021. O valor de corte foi considerando que a taxa de juros básica do mercado atualmente é de 2%.

De acordo com a Economática, foram consideradas condições como volume financeiro médio diário em 2020 superior a R$ 5 milhões/dia; lucro em 2019 e nos nove meses de 2020, sendo que esse deve ser pelo menos 75% do lucro acumulado no ano de 2019 e ter distribuído dividendos ou JCPs em 2019.

O cálculo  projetado para o fim de 2021 foi efetuado considerando o preço da ação no último dia de 2020 e o mesmo volume de dividendos e JCP distribuído pela ação no ano de 2020. O  levantamento considera metodologia 100% quantitativa e a Economática recomenda análise mais detalhada das empresas antes de efetuar qualquer investimento. Ainda de acordo com a consultoria, o dividend yield no ano de 2021 fica maior que o de 2020, mesmo com lucros iguais ou superiores em 2020 com relação ao ano de 2019 devido à elevada desvalorização de alguns ativos no mercado no ano de 2020.