Nova defluência no complexo de Belo Monte não altera PLD de janeiro

Representação do hidrograma da usina Pimental indicada pelo Ibama em 3.100 m³/s será utilizado pelo ONS nos processos de programação da operação no mês

A nova defluência mínima de 3.100 m³/s da hidrelétrica Pimental, uma casa de força complementar de 233,1 MW do Complexo de Belo Monte (PA), não irá alterar o cálculo do Preço de Liquidação das Diferenças (PLD) de janeiro, com a CCEE respeitando a previsibilidade anterior e mantendo a representação de 1.100 m³/s para todo o mês, informa em nota o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), que utilizará a nova medida em seus processos de programação da operação diária e revisões.

Na última quarta-feira, 6 de janeiro, a Norte Energia, titular da usina, apresentou ao ONS o Formulário de Solicitação de Atualização de Restrição Hidráulica (FSARH) nº 1480-2021, declarando o novo valor mensal de escoamento para a UHE, alteração que atende ao Ofício do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) nº 1/2021/DILIC.

A decisão do Ibama, que vale para todo o conjunto de Belo Monte, um dos maiores do mundo, vem em meio a preocupações e discussões sobre os reais impactos ambientais do empreendimento para as comunidades locais, e pelo lado da usina e do setor elétrico, quanto a prejuízos para a produção de energia e abastecimento ao Sistema Interligado Nacional, já que a mesma foi construída para operar sob determinadas garantias físicas do projeto.

O comunicado destaca ainda, que na hipótese do órgão ambiental definir novos valores de defluência mínima para os meses subsequentes, estará assegurada a devida previsibilidade estabelecida pela Resolução CNPE 07/2016.