Siemens Gamesa vai fornecer aerogeradores para eólica da Engie no RN

Complexo Eólico Santo Agostinho vai ter investimentos de R$ 2,2 bilhões e deve começar operação em 2023

A Engie assinou com a Siemens Gamesa o contrato de fornecimento dos aerogeradores para a primeira fase do Conjunto Eólico Santo Agostinho, localizado nos municípios de Lajes e Pedro Avelino, a 120 km de Natal, no Rio Grande do Norte. A nova unidade amplia o portfólio da companhia em energias renováveis e aumenta a oferta no Mercado Livre de Energia.

O Complexo Eólico Santo Agostinho tem investimento previsto da ordem de R$ 2,2 bilhões e deve gerar cerca de mil empregos na região, com a entrada em operação comercial prevista para ocorrer até março de 2023. O novo empreendimento reforça a estratégia de crescimento da empresa e amplia a presença da empresa no Brasil por meio de fontes renováveis e com baixas emissões de gases do efeito estufa, que representam cerca de 90% da capacidade instalada da empresa no País.

A primeira fase do complexo eólico vai contar com 434 MW de capacidade instalada e toda a energia gerada será direcionada para o Mercado Livre de Energia, que aumenta a cada ano no Brasil e fechou 2019 com um volume de operações 6% superior ao de 2018, movimentando R$ 134 bilhões.

Além do Complexo Eólico Santo Agostinho, no Rio Grande do Norte, a ENGIE conta com três grandes projetos em andamento, importantes para o desenvolvimento do País e que irão gerar mais de 10 mil empregos. São duas linhas de transmissão de energia – Gralha Azul, no Paraná, e Novo Estado, no Pará e Tocantins, além da eólica Campo Largo 2, na Bahia, cuja operação comercial deve iniciar neste mês.