Cemig deixará Light por R$ 1,37 bilhão

Operação ocorrera nesta quinta-feira, 21 de janeiro, a Light se vender todas as ações da oferta pública de ações levantará mais R$ 1,37 bilhão

A venda da Light resultará na capitalização da Cemig em R$1.372.425.280,00. O valor de venda das ações da elétrica fluminense foi aprovado em R$ 20. Com isso, se todas as ações da oferta primária e secundária forem vendidas resultará em uma movimentação financeira de mais de R$ 2,7 bilhões. A venda das ações ocorrerá nesta quinta-feira, 21 de janeiro na B3 e a liquidação física e financeira no dia posterior.

De acordo com o plano da elétrica, serão colocados ao mercado um total de 137.242.528 ações ordinárias de emissão da Light compreendendo a distribuição primária de 68.621.264 de novas ações ordinárias a serem emitidas pela elétrica e a distribuição secundária de 68.621.264 ações ordinárias de emissão da Light, contemplando a totalidade das ações de titularidade da Cemig.

O valor foi calculado tendo como parâmetro a cotação das ações ordinárias de emissão da Light na B3, na data de fixação do Preço por Ação e as indicações de interesse em função da qualidade e quantidade da demanda pelos papeis coletadas junto a investidores profissionais. As ações da Light na bolsa de valores encerraram o pregão da terça-feira, 19 de janeiro, cotadas a R$ 21,59, em um mês, informa a B3, esse preço recuou 10,12%.

Em razão do aumento do capital social da Light com a oferta de ações, o novo capital social passará a ser de R$5.473.247.477,89, dividido em 372.555.324 ações ordinárias. A Cemig detém 22,58% do capital social da Light e é o maior acionista individual que tem atualmente 303.934.060 ações.

Segundo Fato Relevante da Light, os recursos líquidos provenientes da Oferta Primária, referente a metade dos negócios serão destinados para fortalecimento e otimização de sua estrutura de capital, reduzindo assim o seu nível de endividamento e melhorando sua posição de caixa. Se todas as ações forem vendidas a empresa levantará quase R$ 1,4 bilhão. A outra metade refere-se à venda de ações de titularidade da Cemig e por isso não receberá nada por se tratar da saída da estatal mineira do controle da Light.