Ibama mantém aumento da vazão do Xingu em fevereiro

Órgão ambiental manteve determinação de aumentar a liberação de água para mitigar impactos ambientais da usina

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis manteve em 10.900 metros cúbicos por segundo a vazão média de Belo Monte para o Trecho de Vazão Reduzida (TVR) do rio Xingu em fevereiro. A determinação vale para o período de 1º a 7 do mês que vem. A Norte Energia, responsável pela hidrelétrica, pretendia liberar 1.600 m³/s para o mês.

Em oficio divulgado nesta sexta-feira, 29 de janeiro, o presidente do Ibama, Eduardo Bim, afirma que a instituição “está avaliando a necessidade de possíveis ajustes nas medidas de mitigação e compensação do empreendimento.” Segundo Bim, as vazões adotadas para o meses seguintes serão ainda definidas pelo órgão ambiental.

O Ibama determinou a liberação de um volume maior de água pela usina hidrelétrica, para atenuar os impactos no trecho de 130 km conhecido como Volta Grande do Xingu. A alteração  foi baseada em parecer técnico que apontou a urgência de intervenções para mitigar os impactos ambientais identificados na qualidade da água, pesca, navegação e modos de vida da população ribeirinha.