CCEE: Custo futuro do DECOMP diminui em todos os submercados

Expectativa de elevação das afluências na região Sul contribui para queda no valor médio da função para todas regiões na 1ª semana operativa de fevereiro

Os preços semanais da função de custo futuro do modelo DECOMP para o período de 29 de janeiro a 5 de fevereiro reduziram em 14%, ficando em R$ 152,72/MWh para os submercados Sudeste/Centro-Oeste, Nordeste e Norte, e R$ 152,18/MWh no Sul, informa a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), atribuindo o resultado à expectativa de crescimento nas afluências da região Sul para janeiro e sua manutenção no mês seguinte.

Para a próxima semana, a CCEE espera que a carga do Sistema Interligado Nacional (SIN) fique em torno de 319 MWmédios mais baixa do que a previsão anterior para o modelo. A estimativa apresentou redução de 70 MWmédios na região Sudeste, 16 MWmédios no Sul, e 313 MW médios no Nordeste. Já para o Norte foi indicado uma alta de 79 MWmédios.

Os níveis dos reservatórios hidrelétricos ficaram cerca de 617 MWmédios abaixo do esperado, estando 2.043 MWmédios mais baixos no Sudeste, 51 MWmédios no Nordeste e 1.473 MWmédios mais elevados no Sul e 4 MWmédios no Norte, todos em relação a previsão anterior.

O fator de ajuste do MRE para o mês passou de 68,5% para 67%. Já para fevereiro, o fator sem a consideração da geração térmica por segurança energética está em torno de 94%. Os Encargos de Serviço do Sistema (ESS) foi estimado em R$ 1,6 bilhões para janeiro, sendo R$ 7,2 milhões devido a restrições operativas, R$ 1,1 bilhões pelo despacho termelétrico, R$ 24,5 milhões por unit commitment e R$ 525,9 milhões devido à importação por segurança energética.

Para fevereiro a expectativa de ESS está em R$ 14,19 milhões devido a restrições operativas, cabendo destacar que o despacho por segurança energética, visando garantir a não degradação do armazenamento do SIN, deverá continuar.