Carga desacelera mas previsão é de alta de 0,9% no mês, aponta ONS

Previsão de nível de reservatórios no Sudeste continua sendo a mais baixa do país com pouco menos de 30% ao final do mês, segundo PMO

A segunda revisão semanal do programa mensal de operação de fevereiro mostra que a expectativa é de desaceleração no ritmo de crescimento da carga no período. A nova previsão do Operador Nacional do Sistema Elétrico é de expansão de 0,9% ante o mesmo período do ano passado. O principal motivo é a ocorrência de temperaturas inferiores às observadas nas semanas anteriores.

Somente na região Sul que está prevista queda na comparação com 2020, de 3,1%. No Sudeste/Centro-Oeste é esperado aumento de 1,9%, o mais elevado do país. Na sequência vem o Nordeste com crescimento de 1,7% e o Norte com 1,1% a mais.

Em termos de vazões o Sul continua com valores esperados bem acima da média histórica. A revisão aponta que a região poderá terminar o período com energia natural afluente de 138% da MLT. No SE/CO a estimativa é de 71%, no Norte é de 59% e no NE está o menor valor com 41% da média de 91 anos.

Apesar das vazões elevadas é esperado deplecionamento do nível de reservatórios no Sul dos 65,1% desta sexta-feira, para 55,4% ao final de fevereiro. Nos demais submercados continua o ritmo de aumento. No SE/CO o mês deverá encerrar com 29,7%, o pior dos quatro submercados. No NE está a mais alta estimativa, com 55,9% e a previsão do Norte aparece com 39,7% de uso da capacidade máxima armazenável.

O custo marginal de operação da semana, calculado pelo Decomp, está equacionado em todo o país a R$ 166,42/MWh. No patamar semanal de carga pesada os valores estão estimados em R$ 168,56/MWh, na média em R$ 168,02/MWh e na leve em R$ 165/MWh.

A previsão de despacho térmico é de 5.511 MW médios, sendo que o maior volume é por inflexibilidade com 4.480 MW médios, 228 MW médios por ordem de mérito e 803 MW médios por restrição elétrica.

De acordo com o relatório do ONS, na semana que se encerra nesta sexta-feira ocorreu chuva fraca a moderada nas bacias dos rios Jacuí, Uruguai, Iguaçu, Paranapanema e na incremental a UHE Itaipu. As bacias dos rios Tietê, Grande, Paranaíba, Tocantins, Xingu e Madeira apresentaram pancadas de chuva em pontos isolados no início do período. No final da semana ocorreu chuva fraca nas bacias dos rios Tietê, Grande e no alto São Francisco.

Já para a próxima semana operativa deve ocorrer precipitação nas bacias dos rios Tietê, Grande, Paranaíba, São Francisco, Tocantins, Xingu e Madeira.