EDP Renováveis tem lucro 17% mais elevado em 2020

Empresa obteve resultado líquido de € 556 milhões, ao longo do ano implementou a venda de ativos para reinvestir, o que incluiu o parque Babilônia, no Brasil

A EDP Renováveis alcançou resultado líquido de € 556 milhões no final de 2020. O número representa um aumento de 17% em comparação aos € 475 milhões obtidos em 2019. No final de 2020, a empresa mantinha um portfólio de ativos operacionais de 12,2 GW, dos quais 11,5 GW estão totalmente consolidados e 669 MW por meio de participações acionárias.

Desde dezembro de 2019, a empresa aumentou em 1.580 MW seu portfólio de ativos, incluindo os 486 MW resultantes da aquisição no negócio renovável da Viesgo. Durante esse período, a empresa implementou sua estratégia chamada de rotação de ativos, concluindo a venda de toda sua participação no parque eólico de 137 MW Babilônia no Brasil, 237 MW em um portfólio na Espanha, 80% de um portfólio de 563 MW nos EUA e 102 MW de um outro projeto eólico nos EUA. Até o fim do ano passado, a variação líquida anual total consolidada do portfólio da era de um aumento de 806 MW.

Além disso, a EDPR fechou 2020 com 2,4 GW de nova capacidade em construção, dos quais 1.648 MW são relacionados à energia eólica onshore, 404 MW com energia solar e 311 MW com participações consolidadas por equity em projetos eólicos offshore.

Nesse período produziu 28,5 TWh de energia, volume 5% inferior ao verificado no ano anterior, ficando em linha com uma capacidade média instalada, como resultado da estratégia de vendas seguida pela empresa.

Em 2020 a companhia registou receita total de € 1,7 bilhão, 5% a menos, resultado dos recursos eólicos inferiores e do efeito negativo das taxas de câmbio, que não foram compensadas por preços de venda mais elevados. Outras receitas operacionais totalizaram € 498 milhões ante € 400 milhões em 2019.

Tanto o ebitda como o ebit se mantiveram estáveis em comparação com 2019. O primeiro somou € 1,7 bilhão, enquanto o segundo em pouco mais de € 1 bilhão. Os resultados financeiros líquidos diminuíram em € 64 milhões, para € 285 milhões, com a comparação anual a beneficiar a menor dívida, juntamente com um menor custo médio da dívida no período (3,5% vs 4% em 2020).

No final de dezembro de 2020, a dívida líquida da empresa totalizava € 3,4 bilhões, aumento de € 640 milhões na comparação com dezembro de 2019.