Elétricas ajudam mulheres se aperfeiçoarem e destacarem no setor

Companhias reafirmam a busca por igualdade de direitos no ambiente corporativo

O Dia Internacional da Mulher foi ontem, 08 de março, mas como já destacamos, cada dia que passa, mais mulheres vem conquistando espaço no universo, até então, predominantemente masculino, incluindo o setor elétrico.

Seja na ocupação de áreas técnicas até o alto escalão, empresas vem reafirmando a busca por igualdade nos direitos, além de incentivar o crescimento e desenvolvimento de mulheres através de cursos de aperfeiçoamento, ou ocupando a liderança de equipes, através da governança corporativa.

Na Neoenergia, além de executivas que ocupam o cargo de diretoria e se reportam diretamente ao CEO, o quadro da empresa é composto de forma bastante ampla por líderes femininas, nas funções de gerentes e supervisoras. Além disso, a companhia conta com o projeto “A Escola de Eletricistas para Mulheres da Neoenergia”, que foi reconhecida pela ONU Mulheres como case internacional.

Através da iniciativa, a Celpe – distribuidora da Neoenergia -, em parceria com o Senai e o Governo de Pernambuco, capacitou 24 mulheres para atuar na rede de distribuição de energia elétrica. A Escola tem como objetivo ampliar as oportunidades de emprego para as mulheres, contribuindo para a equidade de gênero no mercado e possibilitando que, depois da formação, as candidatas passem a compor o banco de Talentos da empresa para concorrer a possíveis vagas. Quatro dessas alunas já foram absorvidas pela própria Celpe e iniciam sua jornada de trabalho ainda esse mês.

Na Enel Brasil, as mulheres podem contar com projetos de empreendedorismo e palestras em Universidades. Um dos principais projetos da companhia é o “Mulheres de Energia”, ação que leva colaboradoras da Enel Brasil de diversas áreas técnicas da companhia para dialogar voluntariamente com estudantes do ensino médio e jovens universitárias em escolas e universidades sobre suas trajetórias profissionais e os desafios das mulheres em suas jornadas. A iniciativa, que integra o programa de voluntariado da empresa, tem como principal objetivo incentivar que mulheres trilhem a formação STEM (Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática, na sigla em inglês), ampliando a participação do público feminino em atividades do setor elétrico.

Já a Celesc firmou compromisso com os Princípios de Empoderamento das Mulheres (WEPs – Women´s Empowerment Principles), programa da ONU Mulheres do Brasil, das Nações Unidas para Igualdade de Gênero e do Pacto Global. Com a assinatura do termo, a Celesc passa a fazer parte de uma rede local e global da ONU. Durante o evento virtual, que aconteceu ontem, no Dia Internacional da Mulher, a diretora de Finanças e Relação com Investidores da Celesc, Claudine Anchite, primeira mulher a assumir um cargo de diretora na empresa, falou que é motivo de orgulho poder participar de um momento tão emblemático e destacou também a importância da sororidade feminina no ambiente de trabalho, para que cada vez mais mulheres ocupem posições de liderança e gestão.

A Engie, em iniciativa com outras grandes empresas, está aderindo à Coalizão Empresarial pelo fim da Violência contra Mulheres e Meninas. A ação colaborativa une esforços e recursos para conscientizar e mobilizar para o fim da violência contra mulheres e meninas, com foco de atuação voltado ao ambiente de trabalho. Além desta ação, a empresa também assumiu o compromisso de aumentar de 24% para 50% o número de mulheres em cargos de liderança até 2030.

Com um projeto chamado “Somos Parte da Mesma Energia”, a Atlas Renewable Energy promove capacitação profissional para mulheres de comunidades e incentiva maior atuação feminina no mercado de energia renovável. O programa é voltado para qualificação da mão de obra feminina que tem atuação no Brasil, México e Chile e já treinou mais de 700 mulheres. O objetivo da iniciativa, criada em 2019, é oferecer treinamentos especializados para a força de trabalho da mulher, capacitando a desenvolverem habilidades para melhores oportunidades de emprego, inclusive nas obras onde a companhia está implementando suas plantas solares. Além disso, o programa irá potencializar a representação feminina nas construções solares que em geral é de 2% passando a 15% com a ação.

Nós, do Portal CanalEnergia, parabenizamos vocês, mulheres, por cada conquista. Esperamos que no próximo Dia Internacional da Mulher, esses números e as novas conquistas sejam ainda maiores.