IPCA: energia é maior contribuição negativa do grupo habitação em fevereiro

Percentual negativo de 0,71% fez com que energia impactasse com menos -0,03 ponto percentual. IPCA do mês ficou em 0,86%

O percentual negativo de 0,71% fez com que energia elétrica, com menos 0,03 ponto percentual, fosse a maior contribuição negativa no grupo Habitação na composição do IPCA de fevereiro. O grupo teve variação de 0,4% em fevereiro e impacto de 0,06% no mês. De acordo com o IBGE, as variações foram dos -4,46% em Campo Grande (MS), devido à redução da alíquota de Pis/Cofins, até o 0,37% de Vitória (ES). Em fevereiro, foi mantida a bandeira amarela, que acrescenta na conta de luz R$ 1,343 a cada 100 kWh consumidos.

O IPCA de fevereiro ficou em 0,86%, 0,61 ponto percentual acima da taxa de janeiro, de 0,25%. Esse foi o maior resultado para um mês de fevereiro desde 2016, quando o IPCA chegou a 0,9%. No ano, o índice acumula alta de 1,11% e, em 12 meses, de 5,20%. Esse valor está acima dos 4,56% observados nos 12 meses anteriores. Em fevereiro de 2020, a variação havia sido de 0,25%.