PDI da Copel reduziu em 20% quadro de funcionários em três anos

Estatal calcula que repactuação do GSF deve trazer impacto positivo R$ 1,3 bilhão em 2021

De acordo com o presidente da Copel, Daniel Slaviero, a estatal paranaense reduziu em 20% o seu quadro de pessoal nos últimos três anos, em que se desligaram 1.600 pessoas. As demissões foram via Programa de Demissão Incentivada. Em 2020, o percentual ficou em 6%, com menos 480 empregados. Hoje a Copel tem em torno de 6.700 funcionários.

Em teleconferência de resultados nesta quinta-feira, 18 de março, Slaviero lembrou ainda que a térmica de Araucária teve um Ebitda de mais de R$93 milhões no quarto trimestre de 2020, quando produziu 565 GWh, tendo um papel relevante nos planos da empresa. “Está em uma nova fase, agora estamos nos preparando para ir aos leilões para as oportunidades que apareceram com a MP 998, em especial os leilões de capacidade”, afirmou.

A Copel calcula um impacto positivo de mais de R$ 1,3 bilhão de GSF em 2021. O valor ainda deve ser referendado pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica. “É um crédito relevante que deverá afetar positivamente o resultado de 2021 em algum momento”, avisa Adriano Ruedek, CFO da empresa. Outro valor que deverá impactar o balanço da empresa deste ano é o da venda da Copel Telecom, que terá processo de privatização concluído este ano.

No mercado livre, Slaviero também prometeu um leilão de fontes incentivadas para o mês de abril. A Copel Mercado Livre tem um portfólio de 1.408 MW med contratados e teve um aumento de 46,7% no volume de energia. O executivo também prometeu acompanhar as oportunidade nos leilões de energia e transmissão deste ano.