Minas Gerais proíbe corte de energia de Tarifa Social

Cemig terá que parcelar em até 24 vezes sem juros os valores em aberto para cadastrados no programa e microempresas afetadas pela crise terão prazo de 12 meses

Visando amenizar os impactos econômicos com o agravamento da pandemia, o governador de Minas Gerais, Romeu Zema, anunciou na última quinta-feira, 18 de março, um conjunto de medidas de socorro econômico a famílias de baixa renda, comerciantes, empresários e municípios, proibindo o corte no fornecimento de energia a consumidores cadastrados no programa Tarifa Social da Cemig.

A companhia também irá dividir em até 24 parcelas mensais os valores em abertos nas condições estabelecidas no portal da empresa. Já os débitos de microempresas dos setores afetados pelas medidas restritivas de funcionamento poderão ser parcelados em até 12 vezes, também sem juros.

Em nota, a concessionária afirmou que vai priorizar as unidades de pronto atendimento, clínicas, hospitais e demais equipamentos de saúde e empresas categorizadas como serviços essenciais, para que tenham o suprimento de energia elétrica garantido.