Empresas do setor elétrico promovem ações no combate à Covid-19

Concessionárias reforçam a manutenção em suas redes de distribuição e fiscalização em hospitais e unidades de saúde

Em meio à pandemia da Covid-19, empresas do setor elétrico vem se mobilizando e promovendo ações que tentam minimizar o caos vivido em hospitais nas diversas regiões do país. A Energisa Rondônia vem promovendo iniciativas chamadas Movimento do Bem, que prioriza o atendimento de demandas de energia para unidades de saúde. Em uma parceria com a Casa Civil e Secretaria de Saúde, será possível viabilizar a implantação de 54 leitos de UTI no Hospital de Base Dr. Ary Pinheiro de Porto Velho, em Rondônia. A companhia está construindo 760 metros de tubulação de gás medicinal.

A companhia informou que na última quinta-feira, 25, já foram iniciadas as instalações e estima que os leitos sejam entregues conforme cada etapa for concretizada. A estrutura do prédio permite finalizar um cômodo e começar o seguinte. Dessa forma, os leitos vão sendo abertos gradualmente, conforme forem equipados pelo governo estadual.

A Neoenergia, através de suas distribuidoras, também vem realizando melhorias e dando suportes nas redes de distribuição hospitalares e educacionais de sua concessão. Os recursos dos Programas de Eficiência Energética (PEE), regulado pela Aneel, são investidos em diversos projetos, como aconteceu com a Elektro, que concluiu a instalação de um sistema solar que recebeu investimento de cerca de R$ 1,4 milhão, beneficiando a Santa Casa Dona Carolina Malheiros, em São João da Boa Vista (SP), unidade filantrópica que está atendendo pacientes com Covid-19. O sistema entregue para a instituição no estado de São Paulo, teve a instalação aprovada em chamada pública de projetos de eficiência energética da distribuidora. Com geração estimada de 466 MWh/ano, deve suprir o equivalente a, aproximadamente, 30% do consumo anual da instituição.

Já em Salvador, a Coelba iniciou neste mês de março a instalação de quatro novos sistemas, também no âmbito do PEE. Um deles é no Abrigo São Gabriel, instituição de acolhimento de idosos, onde a potência total será de 20 kWp e a geração anual é estimada em quase 30 MWh, o que representa cerca de 75% da energia consumida pela organização. Ainda na Bahia, serão beneficiados com painéis solares também os colégios Angelina Rocha, com potência de 29,97 kWp; Antônio Pithon, com capacidade instalada de 20,25 kWp; e Mario Altenfelder 29,97 kWp. O investimento somado nos três projetos da concessionária baiana é de R$ 322.128,70 e a economia deve ser de mais de R$ 38,5 mil por ano.

As manutenções preventivas também fazem parte de um plano especial da Neonergia, que vem fiscalizando os circuitos que atendem hospitais, unidades de saúde e locais de vacinação das suas áreas de concessão. As operações visam assegurar o fornecimento de energia para locais dedicados ao enfrentamento da Covid-19 e estão sendo adotadas pela Coelba (BA), Celpe (PE), Cosern (RN), Elektro (SP/MS) e Neoenergia CEB-D (DF), que, juntas, atendem a cerca de 37 milhões de brasileiros.

As distribuidoras informaram que seguem vistoriando e monitorando os locais de saúde. A Coelba destacou que já vistoriou mais de 500 unidades de saúde, sendo 123 hospitais prioritários e 431 centros de pronto atendimento. A Celpe mapeou 400 unidades de saúde, em Pernambuco e promoveu a doação de 10 respiradores, além de 155 refrigeradores para armazenar as vacinas em 136 municípios.

A Cosern informou que mapeou 33 centros médico-hospitalares e pontos de armazenamento de vacinas que mensalmente estão com todos os seus circuitos de suprimento de energia sendo vistoriados, no Rio Grande do Norte. A Elektro mobilizou 450 profissionais para inspecionar mais de 2 mil km de rede de média tensão que atende parte dos estados de Mato Grosso do Sul e de São Paulo, a concessionária mapeou ainda 151 centros médico-hospitalares na sua área de atuação. Já a CEB-D mobilizou profissionais que vão inspecionar 500 quilômetros de rede de média tensão e 23 subestações, além do mapeamento de 45 centros médico-hospitalares.