Edmond zera emissão de carbono e passa a integrar Rede Brasil do Pacto Global da ONU

Fintech vem adotando uma série de iniciativas de ESG a fim de incentivar o ecossistema a adotar melhores práticas no mercado

A Edmond, fintech que fornece soluções de meios de pagamento para o mercado de energia fotovoltaica, zerou a emissão de carbono da sua operação, em 2020, com a aquisição de ativos de conservação na Amazônia por meio da plataforma Moss. Simultaneamente, a green fintech passou a integrar a Rede Brasil do Pacto Global da Organização das Nações Unidas (ONU) e se prepara para cumprir com todas as exigências relacionadas ao meio ambiente, direitos humanos, anticorrupção e trabalho.

A companhia ressaltou que não pode ficar de braços cruzados frente ao excesso de dióxido de carbono emitido na atmosfera. Por esse motivo, adquiriram ativos para compensar, de forma imediata, todas as emissões de gases que causam o efeito estufa, assumindo o compromisso com a economia circular de carbono neutro.

A Edmond informou também que acabou de integrar a Rede Brasil do Pacto Global da Organização da ONU. Com a adesão aprovada, a empresa terá acesso a ferramentas que ampliarão o envolvimento da fintech com os temas de sustentabilidade, além da participação em atividades locais e internacionais.