Causas do desligamento no Amapá estão em investigação

Carga de 200 MW deixou de ser fornecida ao estado e 700 MW em geração ficaram indisponíveis por conta de problemas no sistema de transmissão

As causas do desligamento ocorrido na noite da última quinta-feira, 8 de abril, em quase todo o Amapá está sendo investigado. Tanto o Operador Nacional do Sistema Elétrico, quanto a Agência Nacional de Energia Elétrica avaliam o que levou ao evento que deixou quase todo o estado sem fornecimento apenas cinco meses após o apagão de novembro do ano passado.

De acordo com o ONS, assim que foi registrado o problema, atuou prontamente para restabelecer o mais rápido possível o fornecimento de energia na região. A investigação será conduzida junto aos agentes envolvidos.

Segundo o relato do Operador, o desligamento ocorreu às 18h34 com a interrupção de 200 MW de carga. Houve a rejeição de geração nas UHEs Ferreira Gomes, Coaracy Nunes, Cachoeira Caldeirão e Santo Antônio do Jari, totalizando 700 MW de carga. A retomada da normalização dos equipamentos começou às 19h02 e concluído pouco mais de uma hora após.

Já o restabelecimento das cargas demorou mais, iniciou-se às 19h10 e terminou às 21h40. Ao longo desse processo houve o fechamento do paralelo da ilha formada pela UHE Coaracy Nunes com o SIN. Contudo, às 20h14 durante a tentativa de ligar o TRI 138/69 kV na SE Santana, ocorreu o desligamento da linha de 138 kV que liga a usina à SE no chamado C1, isolando a UHE do SIN até às 20h40 quando finalmente a usina voltou ao sistema interligado.

Em Santo Antônio do Jari, a situação foi diferente, a UHE ficou indisponível, sendo que as UGs 1 e 2 voltaram apenas na madrugada desta sexta-feira, à 1h14, e as outras duas unidades de geração cerca de 35 minutos depois. Segundo o ONS, o disjuntor do lado de 69 kV do TRI 138/69 kV da SE Santana continua indisponível e sem previsão de normalização.

A CEA, distribuidora estatal do Amapá, logo se manifestou afirmando que o problema não havia ocorrido em sua rede e sim na de transmissão.

Em nota, a Aneel destacou que cobrou explicações da Linhas de Macapá Transmissora de Energia S.A. (LMTE) sobre nova interrupção de energia ocorrida. Essa é a concessionária responsável pela SE Macapá, que em novembro teve o problema em um dos três transformadores e levou ao desligamento por quase um mês no estado.

Por meio de ofício, a agência reguladora deu um dia de prazo para que a concessionária apresente esclarecimentos sobre a ocorrência, incluindo análise preliminar da causa e as medidas que estão sendo adotadas para solucionar o problema e evitar reincidências.