Furnas atua em P&D para metodologia BIM

Intenção é adotar conceito como Inovação nos negócios da empresa

Modelagem da Informação da Construção – também conhecida como Building Information Modeling – de um ativo é a metodologia que vem sendo desenvolvida por Furnas para permitir a produção de estimativas de recursos mais assertivas, melhorando a qualidade dos orçamentos e prazos dos projetos de empreendimentos. A empresa é protagonista no setor elétrico na utilização desta metodologia, alinhada com o propósito de inovação por meio da transformação digital. Alguns produtos estão em fase avançada, como é o caso do protótipo BIM “as built” da Subestação de Mascarenhas de Moraes, localizada em Ibiraci, Minas Gerais.

Denominado “Desenvolvimento de metodologia utilizando o conceito BIM aplicada a projetos de subestações integrado ao Sistema de Inteligência Geográfica e ao Cadastro de Ativos”, o projeto pertence ao Programa de Pesquisa e Desenvolvimento da Agência Nacional de Energia Elétrica, e foi concebido para atender à chamada pública de Furnas 2017/2, para captação de projetos. Segundo a gerente de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação de Furnas, Luciana Iulianelli, a iniciativa permitirá atingir o nível de dimensão BIM 5D. De acordo com ela, neste modelo tridimensional é feita avaliação de custos do projeto com base no controle e estimativa de despesas. Assim, torna-se possível obter mais dados, cálculos e quantitativos a partir do próprio empreendimento.

A partir deste projeto, a empresa elaborará o documento “BIM Mandate”, contemplando a metodologia de planejamento, concepção e construção de projetos de subestações de energia elétrica. E também desenvolverá a Integração dos Modelos BIM a Sistema de Inteligência Geográfica e ao Cadastro de Ativos. A empresa pretende estender o BIM Mandate a projetos na área de geração, bem como avançar para a dimensão BIM 7D – aplicação do BIM na operação e manutenção e Gestão de ativos de Transmissão e de Geração.

O projeto é realizado em parceria com a Universidade Federal de Uberlândia e a empresa Imagem Geosistemas, além do apoio de colaboradores da diretoria de Engenharia, contemplando a coordenação técnica pela Assessoria de Informações Técnicas de Engenharia – ATE.E; da diretoria de Regulação e Comercialização, por meio da Gerência de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação Tecnológica – GPD.R, responsável pela gestão do projeto de P&D+I; e das diretorias de Operação e Manutenção e Administração. A previsão de conclusão é junho de 2023.

A Superintendência de Estudos de Mercado e Inovação de FURNAS atualmente coordena dois grupos de trabalho referentes à metodologia nos segmentos de Geração e de Transmissão de energia: GT BIM Energia (no âmbito nacional) e GT BIM Energia Eletrobras. A ideia é promover a adoção da metodologia nas empresas Eletrobras com planejamento integrado e suporte às equipe técnicas e gerenciais envolvidas na prospecção, avaliação, implantação e gestão de ativos de geração e transmissão de energia. Segundo a engenheira da GPD.R Ana Marotti, que está à frente de ambos os grupos de trabalho e é responsável pela liderança de Furnas nos comitês sobre BIM, o objetivo principal é o desenvolvimento de um Plano Estratégico de Implementação da metodologia no setor elétrico nacional.