Mercado fio da Copel cresce 2,6% no primeiro trimestre

Resultado é explicado principalmente pelo aumento de 13,4% na demanda do mercado livre, influenciado pelo bom desempenho da produção industrial do Paraná

O desempenho do mercado de energia da Copel Distribuição no primeiro trimestre, composto pelo ambiente cativo, suprimento a concessionárias e permissionárias no Paraná e pela totalidade dos consumidores livres em sua área de concessão, apresentou crescimento de 2,6%, para um consumo de pouco mais de 8 mil GWh, afirma a companhia em um comunicado enviado na noite da última quarta-feira, 28 de abril.

O resultado é explicado principalmente pelo crescimento de 13,4% na demanda do mercado livre, influenciado pelo bom desempenho da produção industrial do estado, que avançou 11,4% em janeiro e 3% em fevereiro, com os setores de fabricação de celulose, papel e produtos de papel contribuindo significativamente.

A variação foi parcialmente compensada pela queda de 2,5% no consumo do mercado cativo, reflexo das temperaturas médias registradas que ficaram perto ou abaixo das médias históricas no estado e da maior base de comparação de fevereiro de 2020, devido ao ano bissexto.

Dentro desse quadro a classe residencial foi a única a registrar aumento, de 4,2%, visto que mais pessoas estão ficando em casa em função das medidas de isolamento social, representando incremento de 177 kWh médios no consumo mensal.

Por outro lado, indústria, comércio e o segmento rural, mostram reduções de 6%, 11,4% e 1%. Nas outras classes, envolvendo poderes públicos, iluminação pública, serviços públicos e consumo próprio a queda foi de 4,8%, puxada pelo desempenho negativo de 18,3% do poder público.

Ao todo o fornecimento de energia elétrica da estatal paranaense subiu 3,1% no período, totalizando 15.783 GWh de energia vendida, uma elevação de 18% na comparação anual. Já o número de consumidores no mercado fio chega a mais de 4,8 milhões, com o número de unidades livres subindo 35%, passando de 1.492 para 2.013.