Omega tem prejuízo de R$ 93,8 milhões no 1º trimestre

Ebitda no período subiu 123% e chego a R$ 193,5 milhões

A Omega terminou o primeiro trimestre do ano com prejuízo líquido de R$ 93,8 milhões, maior que o resultado negativo de R$ 51,7 milhões registrados no mesmo período de 2020. A receita operacional líquida da geradora chegou a R$ 370,2 milhões, crescendo 92% em relação ao primeiro trimestre de 2020. O Ebitda de R$ 193,5 milhões mostra que o item cresceu 123% no período.

Na geração de energia, o resultado é de 1.547,1 GWh, 144% a mais que os 634,9 GWh do igual período do ano passado. A projeção para o segundo trimestre deste ano indica uma geração de 1.390 GWh a 1.730 GWh, com um lucro bruto de energia de R$ 290 milhões a 360 milhões no período. Para o ano, a previsão é que a geração de energia fique entre 7.150 GWh a 7.850 GWh e o Lucro Bruto de Energia Ajustado chegue a R$ 1,45 bilhão a R$ 1,65 bilhão.

A Omega Comercializadora negociou 679,6 GWh no primeiro trimestre, valor 60% acima dos 425,2 GWh comercializados no mesmo trimestre de 2020. A plataforma digital da Omega, lançada em setembro, comercializou 165,7 GWh, somando R$ R$ 38,9 milhões.