Omega Geração aposta na geração eólica para reverter prejuízo

Executivos estão otimistas em relação aos próximos meses de 2021

Após anunciar o prejuízo de R$ 93,8 milhões no primeiro trimestre, os executivos da Omega Geração, em evento online com investidores, disseram que estão otimistas em relação aos próximos meses de 2021, especialmente na área de geração eólica acima do centro da projeção.

Na opinião dos executivos, apesar do tombo milionário, a companhia está entregando bons resultados e a emissão de R$ 1,05 bilhão em debêntures verdes para o pré-pagamento de dívidas de projetos em andamento vai reduzir o custo financeiro da dívida, melhorando o perfil de amortização.

“No primeiro trimestre do ano, a gente teve três meses da dívida de Chuí, e estamos pagando essa pré-dívida, e também a emissão das debêntures feitas em março. Tudo isso traz um impacto no nosso lucro líquido”, disse Andrea Sztajn, diretora Financeira e de Relações com Investidores da companhia.

A empresa destacou ainda o aumento de 144% na geração de energia eólica, comparado com o mesmo período do ano passado, por causa da melhora das condições climáticas, o que indica que a empresa pode ter um ano favorável.

O crescimento reflete uma melhor incidência de ventos, com destaque para o Complexo Eólico Delta Maranhão e Assuruá, além de Chuí e Ventos da Bahia 1 e 2.