Reivax fornecerá equipamentos para parque solar da Elera

Sistema Power Plant Controller do complexo Alex atua no controle de requisitos da rede

A multinacional Reivax firmou contrato com a canadense Elera Renováveis (ex-Brookfield) para fornecer o sistema Power Plant Controller para controle de usinas solares fotovoltaicas no parque Alex, em construção no Ceará. O complexo foi adquirido pela Elera por cerca de R$ 1 bilhão em janeiro de 2020 e terá 278 MW de potência instalada, iniciando sua operação em 2022.

O equipamento foi lançado em abril e deve se juntar aos demais fornecimentos de controle conjunto já realizados pela companhia, dentre eles os sistemas instalados em El Chocón e Planície Banderita, na Argentina; Itaúba e Salto Osório, no Brasil; Cañon del Pato e Carhuaquero, no Peru.

A Reivax já possui parceria com a Elera em outros projetos, que envolvem tecnologia de controle da geração em usinas hidrelétricas de grande porte, além de PCHs. De acordo com Fernando Amorim da Silveira, CEO da empresa, a conquista da parceria representa um marco para a Reivax, porque a empresa acaba de lançar uma solução de controle exclusivo para o mercado de energias renováveis. Segundo ele, isso demonstra a confiança e segurança que a Elera tem na tecnologia da empresa.

Ele conta que há outras propostas para projetos similares e que deseja expandir a participação em solar. “A expectativa é que este mercado poderá representar em torno de 25% das receitas da empresa até 2025”, afirma Silveira.

Para atender a demanda fotovoltaica do parque, a Reivax produziu toda a estrutura do Power Plant Controller em sua sede em Florianópolis (SC) e transportou o equipamento de mais de 200 quilos por cerca de 3,5 mil quilômetros até a cidade de Limoeiro do Norte (CE), onde está localizado o parque solar.
A instalação do equipamento deverá ser concluída no segundo semestre deste ano e ele ficará responsável por controlar todos os requisitos da rede elétrica na planta solar. O PPCX vai orquestrar a atuação conjunta de inversores solares de modo a combinar a energia gerada pelos inúmeros painéis solares fotovoltaicos de Alex para entregar esta energia ao Sistema Interligado Nacional.

Alex é um investimento importante do fundo canadense Brookfield no Brasil, que projeta aplicar cerca de R$ 4,5 bilhões em energia fotovoltaica, incluindo também os complexos solares de Janaúba, em Minas Gerais, e Aratinga, no Ceará.

O estado mais avançado das obras permitiu abrir a concorrência e selecionar a empresa responsável pelo Power Plant Controller, sistema para o controle e monitoramento de tensão, frequência, potência ativa e potência reativa no ponto de conexão da UFV com o Sistema Integrado Nacional. O equipamento evita distúrbios quando a energia gerada no parque solar é transmitida para o SIN. O PPCX é implementado em hardware de padrão industrial utilizando como unidade de processamento o PLC Schneider M580.