Lucro da Neoenergia dispara e chega a R$ 1 bilhão no primeiro trimestre

Ebitda sobe 50% no período e chega a R$ 2,3 bilhões

A Neoenergia terminou o primeiro trimestre do ano com lucro líquido de R$ 1 bilhão. O resultado é 75% superior ao registrado no mesmo trimestre de 2020. A receita de R$ 8,5 bilhões sinaliza subida de 27% no período. O Ebitda da empresa de R$ 2,3 bilhões mostra que houve um aumento de 50% na comparação com o primeiro trimestre do ano passado. O investimento chegou a R$ 1,8 bilhão no trimestre.

A energia injetada no trimestre ficou em 18.508 GWh, subindo 6,2%. O número de clientes de 15,5 milhões mostra um aumento de 9,6%, já incluindo a base de 1,1 milhão da Neoenergia Distribuição Brasília (antiga CEB). Na distribuição, a Coelba (BA) teve um aumento de 23% no lucro, com R$ 337 milhões. A Celpe (PE) teve lucro de R$ 100 milhões, variando positivamente 156% . A Cosern (RN) teve subida de 38% no lucro, indo a R$ 112 milhões. A Elektro (SP) melhorou seu resultado em 47%, com lucro de R$ 205 milhões.

No primeiro trimestre do ano, as distribuidoras da Neoenergia mantiveram os indicadores de qualidade dentro da meta regulatória. Em 28 dias de operação no Grupo, a Neoenergia Distribuição Brasília apresentou um dos melhores índices da qualidade do fornecimento de energia já registrado na série histórica do mês, com DEC de 0,5 horas em março deste ano, registrando redução de 12% frente ao aferido em março de 2020.

A parte de redes somou R$ 1,3 bilhão em investimentos, crescimento de 49% em relação ao primeiro trimestre do ano passado. Deste montante, R$ 873 milhões foram destinados para Distribuição e R$ 477 milhões para Transmissão. Na geração, foram investidos R$ 416 milhões em eólicas e outros R$ 45 milhões na fonte hídrica.

De acordo com o CEO da empresa, Mario Ruiz-Tagle, o resultado do trimestre indica o foco na performance, eficiência, qualidade do serviço e no atendimento ao cliente. Segundo o executivo, a Neoenergia manteve o comprometimento e cumpriu o Capex previsto para o período, seguindo os investimentos alinhados ao plano de negócios, o que representa um grande esforço em tempos de muitos desafios.

A área de Liberalizados da companhia, focada em soluções inteligentes para clientes de médio e grande porte, energia limpa e Mercado Livre, registrou lucro líquido alcançado de R$ 75 milhões, um incremento de 92% ante o mesmo trimestre do ano passado.