Renova homologa aumento de capital

Participação da Cemig GT na Renova passou de 48,21% para 29,72% no capital votante e de 36,23% para 15,09% no capital total

O conselho de administração da Renova aprovou a homologação parcial do aumento de capital social da companhia. A medida está dentro do limite do capital autorizado em reunião de 1 de março. O aumento foi homologado com o valor de R$ 334.396.776,50,representado por 58.422.742 novas ações nominativas e sem valor nominal, sendo 19.502.468 ações ordinárias e 38.920.274 ações preferenciais.

O capital social da Renova passa a ser de R$ 3.295.172.753,48, dividido em 100.142.466 ações nominativas e sem valor nominal, sendo 50.854.986 ações ordinárias e 49.287.480 ações preferenciais.

A empresa informou que todos os créditos dos credores que se manifestaram durante a primeira janela do pedido de conversão foram capitalizados no aumento de capital, conforme solicitado pelos credores. E apontou ainda que em razão da capitalização dos créditos no aumento de capital, a dívida concursal da companhia foi reduzida em 12,6%, dando prosseguimento à consecução dos meios da recuperação judicial da companhia.

Por sua vez, a Cemig informou que conforme divulgado em Fato Relevante do dia 1 de março de 2021, a Cemig GT, acionista da Renova, não fez parte do grupo de credores que solicitaram a conversão dos seus créditos em capital, assim como não acompanhou o referido aumento de capital

Desta forma, a participação da Cemig GT na Renova passou de 48,21% para 29,72% no capital votante e de 36,23% para 15,09% no capital total. E ressaltou que a referida conversão não impacta os direitos da Cemig GT no Bloco de Controle da Renova.