Abraceel lança campanha em prol da energia barata

Voltado a consumidores residenciais e da pequena e média indústria e comércio, ação quer engajar os brasileiros que pagam caro por não possuírem o direito de escolher a fornecedora de energia elétrica

A Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (Abraceel) lançou uma campanha voltada a consumidores residenciais e da pequena e média indústria e comércio pela redução do preço das contas de luz e a liberdade de escolha da empresa fornecedora de energia. O lançamento do site (www.queroenergiabarata.com.br) integra a primeira de uma série de ações a serem promovidas ao longo de 2021.

Entre as funcionalidades da plataforma, está um simulador de economia que calcula quanto o consumidor pouparia em sua conta de energia elétrica, caso fosse possível migrar para o mercado livre e estimula que ele envie uma mensagem ao presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, pedindo para pautar o PL 414/21, assinando o manifesto em favor da iniciativa.

O site traz ainda pesquisas de opinião popular, cartilhas sobre o mercado livre, notícias e informações sobre projetos de lei que tratam do assunto no Congresso Nacional. A Abraceel está realizando a 8º pesquisa de opinião sobre o que pensa e quer o brasileiro do setor elétrico em parceria com o instituto Datafolha. O último levantamento produzido no ano passado, com o Ibope, mostrou que a cada 10 brasileiros, 9 consideraram a energia cara ou muito cara e 8 em cada 10 afirmaram querer a possibilidade de escolher o seu fornecedor de energia.

Segundo a Associação, a experiência mundial demonstra que a abertura integral do mercado livre de energia é a solução mais viável para gerar uma economia de até 30% na conta dos consumidores. Hoje, somente os grandes consumidores conectados à alta tensão – grandes indústrias e comércios que pagam mais de R$ 90 mil/mês de conta de luz – podem aderir ao mercado livre de energia.

“Queremos engajar as pessoas, pois conhecemos a insatisfação dos consumidores residenciais com os ajustes e aumento progressivo das tarifas. A participação da sociedade é muito relevante para destravar o PL 414/2021, que se encontra parado há três meses na Câmara dos Deputados”, disse em nota Reginaldo Medeiros, presidente executivo da Abraceel.