Claro inaugura usina no mercado de GD do Brasil movida a biogás

Nova usina tem autorização para gerar até 4,65 MWm de energia, que irão abastecer 2.991 unidades da telefônica

A Claro iniciou a operação da usina de Geração Distribuída movida a biogás, que foi construída e operada pela RZK Energia, empresa do Grupo Rezek. A nova usina tem autorização para gerar até 4,65 MWm de energia, que irão abastecer 2.991 unidades da Claro, entre torres de telefonia, datacenters e outras estruturas operacionais da companhia.

A operadora informou que a iniciativa integra o programa “A Energia da Claro”, que foi lançado em 2017, e prevê o uso de fontes renováveis e ações de proteção ao meio ambiente em todas as operações e instalações da empresa de telecomunicações no Brasil. Em 2020, o programa já alcançou a marca de 40% de geração própria de energia nas unidades de baixa tensão. O programa, segundo a companhia, conta que ainda com a aquisição de energia no mercado livre, onde a empresa compra 100% de energia renovável.

A usina, que está localizada em Nova Iguaçu (RJ), é considerada compacta (700 metros quadrados) e com baixa emissão de ruído. A central geradora é formada por um conjunto de quatro motores, que são interligados ao aterro municipal da cidade por meio de dutos. O biogás que move a usina é obtido por meio do gás metano (CH4) e do dióxido de carbono (CO2) liberados pelo lixo orgânico em decomposição no aterro sanitário. O aterro recebe diariamente 4.500 toneladas de resíduos de diversos municípios da Baixada Fluminense. Depois de captado, o gás é processado e, finalmente, queimado por meio de um processo controlado de combustão para virar energia.