Carga deverá aumentar em 4,7% em julho, aponta ONS

Previsão para o fechamento de 2021 é de crescimento de 3,6%, um patamar 0,4 ponto porcentual acima do indicado na 1a revisão quadrimestral da carga.

A previsão de carga para o mês de julho permanece em um patamar acima do verificado no ano passado. Mesmo com menor impacto das medidas de restrição por conta da pandemia no ano passado, a estimativa é de um crescimento de 4,7% no país em julho. Se a previsão do ONS se confirmar serão 66.286 MW médios, muito em decorrência da recuperação da atividade econômica no país que vem puxando o consumo. Para agosto a estimativa inicial é de expansão de 4,6% ante mesmo período do ano passado.

Os dados foram apresentados no primeiro dia da reunião mensal do ONS para o Programa Mensal de Operação de julho. A carga verificada neste mês foi de 66.654 MW médios, aumento de 8% ante junho de 2020. Com esses números a previsão para o fechamento de 2021 é de crescimento de 3,6%, um patamar 0,4 ponto porcentual acima do indicado na 1a revisão quadrimestral da carga.

No maior submercado do país a previsão inicial é de crescimento de 4% em julho e de 4,2% em agosto. Para o final do ano a estimativa é de expansão de 3,8%, ou 40.179 MW médios. Em junho a expansão ficou em 6,9%. Já para o Sul os dados do ONS apontam expansão de 3,5% em julho, 3,6% em agosto e um acumulado de 2,1% no ano. Em junho foi registrado um volume 6,6% mais elevado.

Já no Nordeste a previsão é de crescimento mais acelerado com 7,1% em julho, 7,5% em agosto e somando 3,6% no fechamento de 2021, nível quase 1 p.p. acima do estimado na revisão quadrimestral. Em junho o volume ficou 11,7% mais elevado na comparação com o mesmo período de 2020. No Norte o índice para julho é o mais elevado com 7,9%, 3,9% em agosto e no acumulado de 2021 a previsão é de crescimento de 5,9% ante 2020.No mês de junho o índice é o mesmo do NE com 11,7% mais alto do que no mesmo período de 2020.