Eneva assina contratos de concessão de bloco de exploração

Ativos nas bacias do Amazonas, Solimões e Paraná foram comprados na Oferta Permanente de 2020

A Eneva informou na última terça-feira, 29 de junho, em comunicado ao mercado que foram assinados os contratos de concessão dos ativos adquiridos pela empresa no segundo ciclo da Oferta Permanente da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, realizado em dezembro de 2020. Os contratos incluem três blocos exploratórios terrestres na Bacia do Amazonas, a área de Juruá na Bacia do Solimões e 70% da participação em blocos terrestres na Bacia do Paraná, como operadora, em consórcio com a Enauta Energia.

Na Bacia do Amazonas (AM), a empresa comprou 100% de participação em três blocos terrestres, tendo ofertado um Programa Exploratório Mínimo total de 11.414 Unidades de Trabalho, que será executado ao longo de 8 anos. O valor do bônus de assinatura para estes blocos foi de R$ 16,3 milhões.

Na Bacia do Solimões, a Eneva adquiriu 100% de participação da área de Juruá, situado a 725 km a sudoeste de Manaus e a 110 km a oeste dos campos de gás e óleo de Urucu. O valor do bônus por Juruá ficou em R$ 25,7 milhões.

Já na Bacia do Paraná em que foram 70% de participação em quatro blocos, em consórcio com a Enauta Energia, a Eneva será a operadora. Os blocos exploratórios estão localizados nos estados do Mato Grosso do Sul e de Goiás, com área de aproximadamente 11.544 km². O PEM ofertado para 100% dos blocos foi de 7.548 UTs, a ser executado em até 6 anos. O valor total dos bônus de assinatura ofertado é de R$ 2,1 milhões.