CREG aprova flexibilizações hidráulicas para quatro usinas

Foram fixadas cotas mínimas para Ilha Solteira e Três Irmãos e vazões mínimas para Jupiá e Porto Primavera

A Câmara de Regras Excepcionais para Gestão Hidroenergética (CREG) realizou nesta quinta-feira, 08 de julho, reunião extraordinária para avaliar as recomendações do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE). A CREG aprovou as flexibilizações hidráulicas propostas paras as hidrelétricas Jupiá, Porto Primavera, Ilha Solteira e Três Irmãos.

Com isso, foram fixadas as cotas mínimas de operação para os reservatórios de Ilha Solteira e de Três Irmãos. Assim, a cota ficou em 325,20 metros no período de 03 a 16 de julho, sendo reduzida até 324,40 m na semana de 21 a 27 de agosto.

Além disso, serão realizados estudos nos próximos 15 dias pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico em conjunto com o Ministério da Infraestrutura e o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), sobre a operação hidráulica das usinas das bacias do Tietê e Paraná e a possibilidade de realizar ondas de vazão até o atingimento da cota 324,8 m nos reservatórios das UHE Ilha Solteira e Três Irmãos, na operação da Hidrovia Tietê-Paraná.

A Câmara determinou que o ONS avalie em conjunto com a Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico a estratégia de utilização dos reservatórios das usinas da bacia do Rio Grande, para garantir a segurança do atendimento eletroenergético do país. Os resultados desses estudos deverão ser encaminhados ao CMSE em até 15 dias, para as providências necessárias junto à CREG, se for o caso.

A CREG também avalizou que a vazão mínima da UHE Porto Primavera seja estabilizada em valores próximos a 2.900 m³/s, considerando vazão incremental entre as hidrelétricas Jupiá e Porto Primavera e a vazão defluente próxima de 2.300 m³/s na UHE Jupiá, com vistas a preservar o armazenamento das usinas hidrelétricas a montante. Deverão ser aprofundados os estudos pelo ONS, em conjunto com a ANA, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis e agentes concessionários, sobre a evolução das condições de operação dos reservatórios dessas usinas e encaminhar para avaliação do CMSE em caso de necessidade de ajuste da operação.

A CREG decidiu ainda pela aprovação das regras que balizam a governança do colegiado.