CEEE-G deverá ser privatizada em dezembro

Liquidação da operação de venda da última companhia estadual no segmento de energia deverá ocorrer em fevereiro

O governo do Estado do Rio Grande do Sul estima que o leilão da última parte do grupo CEEE sob sua gestão deverá ocorrer em dezembro deste ano ainda. A previsão é de que o edital seja publicado entre os meses de agosto e setembro, o certame ocorra no último mês e a transferência da companhia até fevereiro. O BNDES também é o responsável pela modelagem do certame assim como foi nas duas outras privatizações da empresa gaúcha de energia, e diz que o cronograma está em andamento e deverá ser atendido dessa forma.

Segundo o presidente da CEEE, Marcos Soligo, ainda há algumas questões a serem resolvidas como participações acionárias que a companhia tem em usinas de menor porte e outros assuntos envolvendo inadimplências e pontos regulatórios que precisam ser esclarecidos com a Agência Nacional de Energia Elétrica.

“A liquidação da operação de privatização da CEEE-G deverá ocorrer no início de fevereiro”, confirmou ele em entrevista coletiva após o leilão da CEEE-T.

A divisão de transmissão da empresa gaúcha foi leiloada nesta sexta-feira, 16 de julho, na B3 e teve como vencedora a CPFL Energia que deverá assumir os ativos em 90 dias.

A CEEE-T que possui 56 subestações, que somam potência instalada própria de transformação de 10,5 mil MVA, e opera outras 18 unidades. A empresa também é responsável pela operação e manutenção de 6 mil km de linhas de transmissão (5,9 mil km próprios) e mais de 15,7 mil estruturas (quase 15,3 mil próprias). A rede da empresa está espalhada por todo o estado.

Foram vendidas lote único de 6.381.908 ações de emissão da transmissora que são de propriedade da CEEE-par. Essa concessionária é a oitava maior em RAP do país, segundo a resolução homologatória nº 2.725/2020, para o ciclo 2020-2021 da Aneel. O valor é de R$ 868 milhões. O patrimônio líquido em 30 de junho de 2020, era de cerca de R$ 2 bilhões.

Além dessas duas, o governador Eduardo Leite (PSDB) relacionou que o plano de privatizações do estado envolve outras empresas, como a Corsan, de saneamento básico, e ainda, a Sulgás, que já está precificada em R$ 927 milhões. Segundo ele, em breve o edital desta última deverá ser lançado.