Neoenergia: distribuidoras entregam obras de grande porte no 1º semestre

Com foco em reforçar a qualidade do fornecimento para os clientes, serviços incluíram, entre outras intervenções, a conclusão de cinco novas subestações

O Grupo Neoenergia, através de suas distribuidoras Coelba (BA), Celpe (PE), Cosern (RN), Elektro (SP e MS) e Neoenergia Distribuição Brasília, concluiu 39 obras de grande porte no primeiro semestre de 2021, incluindo a construção de cinco novas subestações, além da ampliação, renovação e digitalização de ativos e a implantação de novas linhas.

De acordo com a companhia, no primeiro semestre do ano, o Capex das distribuidoras foi de R$ 1,8 bilhão, dos quais R$ 1,2 bilhão foi destinado à expansão de redes. O investimento para a construção de novas subestações e redes de distribuição somaram R$392 milhões no período.

Na Bahia, a Coelba energizou a subestação Juazeiro IV, em 69 kV, obra que recebeu investimento de mais de R$ 17 milhões. Foi concluída também a construção da subestação Araçás, projeto para o qual foram destinados cerca de R$ 6,6 milhões. Entre as obras teve ainda a ampliação da subestação Jequié, em 138 kV, que teve a adição de um transformador de força. Outras 12 subestações da concessionária passaram por serviços de renovação de ativos e melhorias entre janeiro e junho deste ano, além de cinco linhas de distribuição, sendo três em 69 kV e duas em 138 kV. Ao todo, os investimentos da Coelba nessas obras foram de quase R$ 40,8 milhões.

Já a Celpe concluiu 12 obras em subestações e linhas de distribuição, que receberam cerca de R$ 31,9 milhões. Em junho, a distribuidora pernambucana energizou a nova subestação UR-10. A potência inicial instalada no empreendimento é de 26,6 MVA, mas com o crescimento habitacional natural da região, pode chegar a 53,2 MVA. A obra custou aproximadamente R$ 10,3 milhões. A Cosern destinou R$ 16,5 milhões para a construção da subestação Santa Cruz. Foi entregue também a subestação Major Sales, com quatro novos alimentadores (circuitos de média tensão) e um transformador com capacidade instalada de 10/12,5 MVA. Foram investidos mais de R$ 12 milhões no empreendimento. Além dessas obras, a concessionária concluiu a renovação de duas subestações, a construção de uma linha de distribuição e recapacitação de outra, todas em 69 kV.

A Elektro concluiu as obras da subestação Três Lagoas (MS), que recebeu investimento de quase R$ 14,6 milhões. A distribuidora iniciou em janeiro a operação da nova subestação Guarujá 04 e conta com a nova tecnologia GIS (sigla em inglês de Gas Insulated Switchgear) e com sistema automatizado, podendo ser comandada diretamente do Centro de Operação da Distribuição (COD) da Elektro, em Campinas (SP). Além disso, a empresa ampliou sete subestações nas regiões centro e sul de São Paulo. Os investimentos da distribuidora em obras de grande porte no primeiro semestre chegaram a R$ 94 milhões.