Carteira de ciclo longo deve segurar resultados da WEG no segundo semestre

Pressão sobre as margens deve ser compensada recuperação da atividade industrial e crescimento no mercado exterior

Em teleconferência com investidores, os executivos da WEG disseram acreditar que os produtos de ciclo longo devem sustentar o crescimento da empresa no segundo semestre. A empresa espera maior pressão sobre as margens no segundo semestre por conta do aumento dos custos em matérias-primas indexadas ao câmbio, mas isso deve ser compensado pela recuperação da atividade industrial e crescimento no mercado exterior.

O gerente de relações com investidores da WEG, André Menegueti Salgueiro, disse que a companhia projeta investir cerca de R$ 500 milhões até o fim do ano e que quer aumentar mais a participação nos mercados que atua.

“A melhora gradual da carteira de ciclo longo sinaliza um segundo semestre positivo, do ponto de vista da demanda de ocupação de nossas fábricas (…) nós temos a expectativa que o ano de 2021 vai apresentar margens operacionais saudáveis e não muito diferente do que foi performado no ano passado”.

Já o gerente de relações com investidores da WEG, André Menegueti Salgueiro, acrescenta que a carteira de ciclo longo – separada em geração, transmissão e distribuição de energia (GTD) e equipamentos eletroeletrônicos industriais – vem apresentando bons resultados.

Especificamente o segmento GTD vem apresentando resultados positivos desde o ano passado, “principalmente em função do negócio de P&D que vem apresentando bom desempenho no Brasil quanto na América do Norte, e pela volta aqui no Brasil dos projetos de geração eólica”, conta.