Neoenergia inicia testes de sensor inteligente para redes de alta tensão

Aparelho desenvolvido no programa de P&D é destinado a monitorar sistemas de 69 kV em tempo real e será testado agora em São Paulo

A Neoenergia está avançando no desenvolvimento de sensores inteligentes para redes elétricas de 69 kV, em alta tensão, com tecnologia nacional a partir do programa de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), regulado pela Aneel, e em parceria com o Instituto Lactec e a Tecsys. Os equipamentos servem para monitorar as principais informações das linhas de transmissão, como corrente, fator de potência e corrente de surto. Além disso, identificam faltas de energia de forma automática.

Formado por três sensores, sendo um para cada fase da rede elétrica, e uma unidade concentradora, instalada no poste ou estrutura da linha de transmissão, o aparelho tem sua comunicação por radiofrequência, enviando todas as informações medidas pelo conjunto para o Centro de Operações da companhia, por meio de rede celular, rádio, satélite ou fibra ótica.

O primeiro sensor para testes foi instalado no município de Barreiras (BA) pela Coelba e outras nove unidades serão testadas em Itapeva e Votuporanga, cidades em São Paulo que estão na área de concessão da Elektro. O equipamento pode enviar alarme de falta de energia ou de eventuais problemas, apontando a localização exata da ocorrência, o que leva a uma resolução mais ágil.

Além disso, a tecnologia disponibiliza as informações sobre a rede periodicamente para o monitoramento, como condições de funcionamento, estado da carga das baterias e alarmes para manutenção, o que é tido como um diferencial, já que outros modelos disponíveis no mercado, em geral, indicam apenas a falta de energia.

Média tensão

Em outro projeto, a Neoenergia desenvolveu um modelo pioneiro de sensor inteligente para redes de média tensão, até 34,5 kV, que teve a sua comercialização iniciada em 2016. Hoje, a companhia já possui 2.245 conjuntos de sensores inteligentes instalados em quatro distribuidoras, sendo 1.359 na Coelba, 574 na Celpe, 140 na Cosern e 172 na Elektro.

As duas iniciativas integram um projeto da Neoenergia para o desenvolvimento de tecnologia nacional para redes elétricas inteligentes, que engloba produtos como o qualímetro, equipamento para aferir a qualidade da energia entregue aos clientes, ou o concentrador multilink, um aparelho que serve como um elo entre equipamentos em campo e os centros de operação e datacenters.