Engie se une à ABH2 para acelerar as tecnologias de hidrogênio verde no Brasil

Hidrogênio verde é prioridade na estratégia global da companhia na oferta de produtos e serviços para descarbonizar a economia

A Engie anunciou o seu ingresso na Associação Brasileira de Hidrogênio (ABH2), tornando-se a primeira empresa do setor de energia a se filiar à entidade. A iniciativa vem de encontro ao seu propósito global de agir para a acelerar a transição para um mundo neutro em carbono por meio do consumo reduzido de energia e de soluções mais sustentáveis.

De acordo com a Engie, seu objetivo é avançar no segmento de hidrogênio verde, um dos principais focos de crescimento do grupo no mundo e no Brasil. Entrar na associação e fomentar parcerias e estudos nessa área reforça a meta da Engie de zerar suas emissões líquidas até 2045, bem como diversificar sua atuação para novos combustíveis renováveis. Outro foco da parceria com a associação é, além da colaboração tecno-científica, a capacitação profissional. Nesse sentido, o trabalho junto à ABH2 e suas outras associadas proporcionará oportunidades de alavancar marcos normativos e regulatórios no país, estabelecendo um ambiente de negócios competitivo e atraente para investidores.

A ABH2 informou que vem desenvolvendo uma intensa agenda de reuniões com suas empresas associadas para captar suas necessidades e fomentar a adoção de tecnologias da energia do hidrogênio no Brasil. Além disso, tem atuado junto à EPE (Empresa de Pesquisa Energética), ao MME (Ministério de Minas e Energia) e ao MCTI (Ministério da Ciência Tecnologia e Inovações) em temas relacionados ao Programa Nacional do Hidrogênio, que se desenvolverá neste ano no Brasil, para que seus associados influenciem positivamente no processo.

Como uma das metas, a Engie projeta, até 2030, desenvolver capacidade instalada de fabricação de hidrogênio verde de 4 GW, implantar 700 km de redes dedicadas de hidrogênio e operar mais de 100 postos de abastecimento. O Grupo já possui 70 projetos de hidrogênio verde industrial em funcionamento (com 20 projetos > 50MW) em 10 países.