Dependência da China pode ameaçar rentabilidade dos projetos solares da Engie

Caso ocorra um aumento significativo no preços dos equipamentos, companhia deve rever estratégia

Em teleconferência com investidores, os executivos da Engie disseram que se houver aumento exagerado dos painéis solares em função do poder de mercado da China, a energia solar vai se tornar menos atrativa e os agentes terão que rever suas estratégias.

A geração solar é uma das estratégias de expansão da companhia, tanto que adquiriu parques recentemente, mas a Engie vem notando um aumento dos custos operacionais, que em parte aumentaram por conta dos custos de venda e instalação de painéis solares.

“O mundo todo depende da China de alguma maneira como grande parque fabril mundial. Sim, Vamos nos adaptar a isso, se existir um poder de mercado muito grande da China em relação a esse tipo de material e que isso eleve um preço desse tipo de equipamento e tecnologia, tudo isso vai refletir na competitividade dessa fonte ante as outras”, disse o Eduardo Sattamini, CEO da Engie Brasil, que destacou ainda que a logística também impactou os custos dos equipamentos.